01 agosto 2015

Transcendência da arte: Literatura e Música

A arte é expansão, possibilidade de transcendência, descoberta de novos sentidos. Como manifestações artísticas, a literatura e a música possuem pontos de toque. Convido você, leitora e leitor, a experimentar a conexão que percebi esses dias ao montar trilhas sonoras para as leituras que estou fazendo. Por uma questão meramente didática, vou enumerar as experiências de 1 a 3 - o que não significa hierarquia nenhuma. (:

1 - O Leopardo, de Jo Nesbo.

Se você ainda não conhece o trabalho desse escritor norueguês, é melhor começar a garimpar livrarias, sebos e, claro, a internet. Em "O Leopardo", a vida do inspetor Harry Hole - protagonista da série de livros de Nesbo - afunda ainda mais na sarjeta de dor, violência e drama. Um novo serial killer sedento por práticas de tortura surge, acabando com o "descanso de ópio" e esquecimento que Hole se impôs. Ainda estou na metade da obra - o livro é longo -, e apesar das constantes referências musicais que Jo Nesbo solta em seus romances, imagino uma trilha sonora própria.

Estou lendo "O Leopardo" acompanhada da discografia da banda alemã Diary of Dreams.

Só a arte é capaz de juntar essa turma toda (Jo, Diary, Agatha, Keane, José e Alberto)


2 - O Mistério do Pudim de Natal, de Agatha Christie.

Uma coletânea de contos da "Rainha do Crime" que tem se mostrado um grande bocejo - até agora, pelo menos. O livro é assustadoramente insosso (falarei mais sobre ele em resenha aqui no Dose).

Para manter a leitura em um ritmo aceitável, estou ouvindo os ingleses do Keane, destacando o álbum Hopes and Fears (2004).

3 - Senhora, de José de Alencar.

Releitura para desopilar a cabeça. José de Alencar e seus dramas de amor burguês sempre me fizeram relaxar a mente. O enredo é alencariano (óbvio, né, Mara! rs): Menina pobre que fica rica e se vinga do ex-namorado (e futuro marido), provando que ela também pode ser uma garota má. 

Tenho o hábito de ler José de Alencar ouvindo o compositor clássico Alberto Nepomuceno. Gosto muito da peça 'Prece'. 

***

E você? Compartilha com a gente - nos comentários - as trilhas sonoras que acompanham suas leituras.

28 julho 2015

19 clássicos da literatura brasileira para download gratuito no Google Play Livros

Para quem ainda não está familiarizado(a), não pode/quer ter e-readers (como Kindle, Kobo, Lev...etc) ou não abre mão do uso de tablets e smarts phones - aqui vai uma dica: o aplicativo Play Livros disponível para Android e IPhone. Você pode comprar e-books ou fazer downloads gratuitos de diversos livros. 

Aplicativo Play Livros - Google Inc.

Antes de passar uma listinha bacana de livros para baixar através deste aplicativo, só gostaria de esclarecer que este conteúdo não é patrocinado (quem dera fosse!) e que estou indicando este aplicativo porque realmente gostei das vantagens que ele oferece como: leitura offline (não preciso estar conectada à internet para ler), opções de modos de leitura (diurna ou noturna), opções de tipos e tamanhos de fontes, arquivos PDF e muito mais.


páginas do livro Triste Fim de Policarpo Quaresma (Android - Galaxy S2)

Opções e ajustes de leitura (Android - Galaxy S2)

Fiz uma lista de clássicos da literatura brasileira disponíveis para download gratuito no Play Livros - publicados por Obliqpress - Classics of Brazilian Literature:

1) Iracema - José de Alencar
2) As Asas de um Anjo - José de Alencar
3) O que é o casamento- José de Alencar
4) Mãe - José de Alencar
5) Diva - José de Alencar
6) O Demônio Familiar - José de Alencar
7) A Alma de Lazaro - José de Alencar
8) Dom Casmurro - Machado de Assis
9) Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis
10) Histórias da Meia-Noite - Machado de Assis
11) Várias Histórias - Machado de Assis
12) A Mão e a Luva - Machado de Assis
13) Demônios - Aluísio Azevedo
14) Uma Lágrima de Mulher - Aluísio Azevedo
15) O Livro de uma Sogra - Aluísio Azevedo
16) Os Escravos - Castro Alves
17) A Moreninha - José Manuel de Macedo
18) O Triste Fim de Policarpo Quaresma - Lima Barreto
19) Memórias de um Sargento de Milicias - Manuel Antonio Bandeira

E mais...
Dicionários gratuitos:
- Oxford Dictionary of English
- Dicionário da Língua Portuguesa - Porto Editora

Posts relacionados:
- Minha experiência com Kindle
- 40 sites para baixar livros em inglês

27 julho 2015

Literatura [de horror] em quadrinhos - Domínio Público

Ganhei de uma pessoa querida [Kalina] a HQ Domínio Público - literatura em quadrinhos, um compilado de contos de terror adaptados para quadrinhos por alguns desenhistas e organizadores. Na própria orelha da obra diz [e achei válido transcrever aqui] "Histórias curtas de seis grandes expoentes da literatura universal transformadas em quadrinhos que estimulam a imaginação através do rico apelo visual de suas obras."



Pois bem, nomes como Guy de MaupassantEsopoIsaac BabelBram Stocker e alguns menos conhecidos como Richard Middleton e Heinrich von Kleist tem nos traços de vários desenhistas alguns de seus contos menos conhecidos dos leitores. Não pense em ver Dracula nessa edição. O que você vai encontrar em Domínio Público é o conto A casa do Juiz. Provavelmente você pode achar que a obra de Stocker se resume apenas ao vampiro mítico, e seria injusto de minha parte desmerecer tal personagem cultuado no mundo literário de horror, mas devo fazer justiça em afirmar que o conto escrito por Stocker e adaptado na versão de Domínio Público é extremamente aterrador, e no traço de Gabriel Góes, a aura de inquietação que se instala no leitor no momento da apreciação da leitura não é de ficar atrás do 'carro-chefe' do grande Bram...

Resolvi falar um pouco sobre cada conto, pois não poderia falar da obra como um todo, sem me ater a cada história em particular. O primeiro conto adaptado é A casa do Juiz, escrito por Bram Stocker, adaptado por Mário Hélio e desenhado por Gabriel Góes. Um rapaz chamado M. decide viver num local longínquo, afastado de todo alvoroço da civilização. Na primeira noite em que chega a seu destino se instala numa hospedaria, e já no dia seguinte, parte em busca de uma residência que atenda seus interesses. Ao encontrá-la, retorna a hospedaria e fala para a senhora W. sobre sua escolha. A mulher fica apavorada mas não explica o porquê. Ele afirma que é cético e não se deixa levar por superstições ou algo do gênero. Mas já na primeira noite, ele nota que não vai ter a tranquilidade tão almejada em seu novo lar...



O segundo conto se chama A estrada de Brighton, do autor inglês Richard Middleton, adaptado também por Mário Hélio, mas dessa vez no traço de Samuel Casal. Um vagabundo surge debaixo de um monte de neve na estrada, parecia estar perdido e caído por horas naquela estrada inóspita. De repente, surge um rapaz lhe oferecendo companhia. O andarilho aceita. Ele conta que saiu de casa há seis anos e com o espanto do andarilho, ele afirma já ter morrido várias vezes nesse meio tempo... Diante da incredulidade do homem, o rapaz começa a lhe contar detalhes de sua nova condição, e como seria 'o outro lado' quando se passa a aceitar a própria morte...



O terceiro conto na verdade se divide em três mini-contos, pois se trata de adaptações de fábulas de Esopo. A primeira delas é a história do lobo e e garça, depois temos a dos dois inimigos e fechando o clico - o leão, o lobo e a raposa. Os desenhos foram feitos por Mascaro, e cada uma das fábulas traz uma lição de moral ao fim...



O horla possui um traço mais rebuscado, e tons terrosos e escuros. João Lin desenha o personagem que faz 'n perguntas para si mesmo, em que não há resposta para elas. Suas dúvidas e medos o levam a cometer a loucura de botar fogo na própria casa. Um navio que chegou do Brasil é o motivo para o personagem acreditar que um duplo o possuiu. A história é adaptada de um conto de Guy de Maupassant. O fim do personagem é trágico...

"Quando olho para a noite e vejo tantas estrelas e planetas desconhecidos, pergunto-me quem viverá ali? Que formas, que seres viventes, animais ou plantas, ali existirão? Que seres pensantes haverão nesses universos?"



O pecado de Jesus é desenhado por Fernando Lopes, e trata-se de um conto de Isaac Babel; a história é um misto do sagrado com o profano, onde uma simples criada engravida do marido e precisa cuidar das asas de um anjo, enquanto o marido a abandona e vai para a guerra. Sozinha, outros homens a cobiçam, sem pudor ou respeito. Ela não os ouve. Grávida e ébria, ela sucumbe aos pensamentos luxuriosos com o anjo a quem dá abrigo e comida...

Guazzelli ilustra o conto O terremoto no Chile, que fecha a edição. É uma adaptação da história escrita por Heinrick von Kleist. Mais uma vez o tema religioso se destaca, dessa vez contando sobre um amor proibido, fadado à morte.

São notáveis nos contos dessa HQ o pessimismo e [des]esperança humanos. A melancolia e solidão, bem como o desfecho trágico dos protagonistas. também emprestam seu papel à obra. Nos primeiros contos o leitor se sente aterrorizado, com uma espécie de medo do desconhecido. Com o passar de páginas, esse terror psicológico e claustrofóbico dá lugar à loucura e desalento, como nos contos O pecado de Jesus e O terremoto no Chile. Fatalismo é a peça-chave para a conjunção desses contos criados por mentes perturbadas, que tiveram - assim como seus personagens, fins trágicos e tristes.

Altamente recomendado para leitores que tenham fascínio por histórias mórbidas, ao estilo de Edgar Allan Poe e pessimistas, como Arthur Rimbaud e Franz Kafka. Os traços são um espetáculo à parte, que - combinados aos contos melancólicos, faz de Domínio Público - literatura em quadrinhos, uma ótima aquisição para se ter na estante...

25 julho 2015

Por trás da coxia: Projetos individuais do time Dose Literária

Além de escrever resenhas, participar de eventos e entrevistar autores, os componentes do Dose Literária também desenvolvem projetos - por paixão e hobby - para espalhar a semente da arte. Conheça alguns desses trabalhos:



Roda de Leitura Paudalho

Projeto desenvolvido pela Maria Valéria, a roda de leitura tem ajudado a incentivar o gosto pela leitura e discussão na cidade de Paudalho, em Pernambuco.

Conheça mais.

Patnightmare Photography

Amante de cinema, literatura, "beauté gothique" e Idade Média, Patrícia Oliveira utiliza a imagem experimental para registrar emoções. 

Conheça mais.


Livros da Mara em E-book

Prestes a lançar seu quinto e-book, Mara Vanessa Torres mergulha nas águas abissais do gênero ficção-real. Seus últimos trabalhos são: o conto Um Sopro, que fala sobre sabotagem da memória, tempo em colapso e fusão entre realidade e ilusão e, em seguida, o e-book "Invencionices de Outro Mundo", coletânea de 'short stories'.

Conheça mais.

Jessy Cine Club

Apaixonada por cinema, Jéssica Henriques fala sobre películas clássicas e atuais, pontuando suas impressões e sensações.

Conheça mais.

Fábio Michelete Blog

Fábio Michelete é autor do livro 'Aprendi a me amar - Em busca da felicidade', um romance que aborda temas como autodesenvolvimento, desejos e equilíbrio emocional. Fábio também integra o grupo de caminhada KATUAPE, responsável por eventos filantrópicos para a Fraternidade Irmã Clara - FIC.

Conheça mais.

**

Plus:

Baixe o Mídia Kit  do Dose Literária.

23 julho 2015

A galinha degolada e outros contos, de Horacio Quiroga

Tive uma grata surpresa ao me deparar com o livro A galinha degolada, do escritor uruguaio Horacio Quiroga -  em mãos... Só pela capa o livro já me atraiu e após o flerte inicial, pausei três leituras para conhecer Quiroga. Bem como a pessoa que me emprestou o livro falou, o livro tinha todos os requisitos para ser um dos meus preferidos da vida. E foi...


A escrita de Horacio Quiroga contém elementos de horror psicológico, narrados de maneira a deixar o leitor prendendo a respiração até as últimas linhas. A cada trecho de alguns contos, eu arregalava os olhos, tal a surpresa que os desfechos das histórias me proporcionavam... Ao findar o conto que dá nome ao livro, senti um misto de perplexidade absurda, como se o mundo ao meu redor houvesse parado de respirar junto comigo... Trata-se de um casal apaixonado que tem 4 filhos 'defeituosos' e ao nascer uma linda menina, após o medo dela se tornar igual aos irmãos, passa a ser mimada e cercada de cuidados. Os irmãos são descritos como verdadeiros retardados, e a narrativa conduz o leitor para uma seqüência de fatos fora do comum, beirando o bizarro... Não posso soltar tudo pois o leitor precisa desvendar as linhas do autor por si mesmo, mas garanto que a história acaba de forma violenta e cruel... Finalizando o conto, entende-se o título dado a ele...

Para abrir o livro, temos o conto O travesseiro de penas, que foi o contado inicial que desencadeou a paixão pelo escritor uruguaio. Achei que se tratava de um conto vampírico ou algo do tipo, mas ele me deixou com ar de confusão, sem saber o que esperar depois daquilo, no restante da obra... Curto e denso...

O solitário mostra a vida de um marido que se sacrifica ao máximo para satisfazer os desejos de sua esposa, mulher interesseira e egoísta, que não reconhece o esforço do marido em sempre lhe agradar. A história vai se desenrolando até culminar num ato de vingança...

O espectro também foi outro conto que me deixou absorta, pois fala de um casal pouco conveniente, que se encontra unido pelos laços da morte, e o homem narra o episódio que os deixou naquele estado de fantasmas... 

O mel silvestre fala sobre um homem que encontra um triste fim na doçura do mel e para finalizar, o conto que menos me agradou da compilação: A câmara escura. Não por ser ruim, mas por ter gostado mais dos anteriores... Fala sobre um homem que se encontra com o olhar de um morto, e precisa encará-lo novamente, mesmo sabendo que ele já está enterrado... 

Não há como me aprofundar nos contos sem deixar transparecer o elemento surpresa deles. É necessário ler para entendê-los e sentir o quanto Quiroga fazia bom uso das palavras. Ele não utiliza cenários prontos típicos de livros nessa linha de horror gótico sobrenatural, mas consegue trazer o medo por meio de cenários pouco convencionais para esses propósitos e mexe mais com a psique humana dos personagens para trazer medo e assombro ao leitor...

Na segunda parte do livro, estão escritos textos biográficos de algumas figuras importantes para Quiroga, tais como Louis Pasteur, Lope de AguirreThomas de QuinceyRichard WagnerCondorcet e até Edgar Allan Poe.

A vida de Horacio Quiroga foi envolta em tragédias, pois perdeu seu pai ainda na tenra infância,  seu padrasto se suicidou, a primeira esposa e seus três filhos também ceifaram as próprias vidas... O próprio, ao descobrir que era acometido de câncer, veio a se matar, tomando uma dose fatal de cianureto, no ano de 1937... Ele nasceu em 1879, na cidade de Salto, no Uruguai, vindo a falecer em Buenos Aires. Escreveu dezenas de contos, e seu livro mais famoso é intitulado Cuentos de amor de locura y de muerte. 





Em suma, Horacio Quiroga já garantiu um lugar mais que especial em meu coração, e espero que logo possa ocupar um espaço em minha estante de livros, de preferência com tudo que foi publicado dele aqui no Brasil... Espero que tenham curtido a resenha... Conheciam o autor? Já leram algo ou pretendem ler? Me falem nos comentários... ^.~

ShareThis

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...