09 dezembro 2011

Eu confesso...

Que eu já li alguns livros de autoajuda, mas vou falar de outros que consigo lembrar agora.

Gente, é muito difícil falar sobre isso publicamente, mas eu vou tentar. (rs).

A Cabana (Willian P. Young)


Eu ganhei este livro em um "amigo secreto" da empresa que eu trabalhava. Ao ler a sinopse eu me interessei pelo livro e o começo do livro é interessante, há um pouco de suspense. Com o desenrolar da história, o negócio começa a ficar chato. Sim, porque envolve umas questões espirituais e religiosas (nada contra) mas esse livro não foi pra mim.


Comer, Rezar, Amar (Elizabeth Gilbert).


Resolvi encarar o best-seller sem preconceito e AMEI! Sim, eu adorei a forma como Elizabeth descreveu seus momentos e suas viagens, adorei a forma como ela explicava sobre os lugares e as pessoas que passaram pela vida. Sim, eu tive vontade de fazer a mesma trajetória que ela, por que não? Ainda não sei se vou ler o segundo romance dela “Comprometida”, acho que é totalmente diferente.


O Mundo de Vidro (Maurício Gomyde)


Este livro eu ganhei pela internet. Eu não sei como classifica-lo se é que existe alguma classificação. Digamos que seja algum romance do nosso cotidiano.
Não há grandes novidades, é um romance simples e bem humorado. Não acrescenta grandes coisas na vida, mas como já foi dito é um livro para “não pensar”.


O que toda mulher inteligente deve saber (Steve Carter e Julia Sokol)


Sim, gastei meu suado dinheirinho para comprar este tipo de livro. Eu só podia estar me sentindo a mais loser das criaturas pra achar que um livro como esse me ajudaria em alguma coisa, mas o fato é que muitos casos citados realmente acontecem com mulheres de todos os tipos.