10 dezembro 2011

Crônicas de Nárnia

O post de hoje é do nosso convidado Carlos Crow.
Seja bem vindo Carlos!

Prepare-se para mudar...
Alguma vez você olhou algum livro na estante de uma livraria e ele estava colocado no setor de INFANTO-JUVENIL? Então você se pergunta, este livro é muito mais do que literatura infanto-juvenil, afinal o que ele faz aqui?
Estes livros que transcendem eras e idades são conhecidos como clássicos da literatura. Em breve trarei considerações acerca de um texto de ÍTALO CALVINO, literato italiano, autor de “PORQUE LER OS CLÁSSICOS”.
Hoje escolhi um livro composto de diversos outros. Sim uma união de livros em um único volume.
Apesar de terem sido editados em uma dada ordem, com o tempo o autor foi tapando as brechas e aumentando a história, antes e depois. Quando o primeiro dos livros saiu, muitos se questionaram: Afinal como aparece o guarda roupas e de onde vem sua magia?
Neste momento você já deve saber de qual livro falo, trata-se de um dos maiores clássicos para todas as idades, “AS CRÔNICAS DE NÁRNIA” (volume único). Este volume além de trazer todas as crônicas, tem um texto inédito de C.S. Lewis intitulado “Três maneiras de escrever a crianças”, uma bela critica literária onde o autor coloca que contos de fadas devem ter um pouco de tudo, alegria, medo e perda. Sim deve trazer um pouco de medo, pois é o medo que nos dá limites e cria nosso lado B.


C.S. Lewis, seu autor foi amigo íntimo de outro autor que considero um dos maiores de todos os tempos para a literatura fantástica, J.R.R. Tolkien. Freqüentaram os mesmos PUBS na Inglaterra e foram do mesmo clube literário. Em dado momento brigaram e ficaram anos sem se falar, mas a literatura em certo momento foi mais forte e eles voltaram a ser amigos.
Vamos ver então as diferenças entre a literatura que temos e o que o cinema tem feito por ela na análise da obra de C.S. Lewis.
O cinema está seguindo a edição original com as obras sendo filmadas em seqüência conforme foram editadas.
1 – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa – 1950
2 – Príncipe Caspian – 1951
3 – A viagem do Peregrino da Alvorada – 1952
4 – A cadeira de prata – 1953
5 – O Cavalo e seu menino – 1954
6 – O sobrinho do mago – 1955
Ainda não sabemos se os produtores irão seguir a ordem acima, mas tudo nos indica que sim, até o momento seguiram à risca a ordem acima.
Porém fica a pergunta, porque o guarda-roupa é mágico e como ele faz a travessia para Nárnia?
Não vou estragar a surpresa caro leitor, para saber isso você terá que ler a obra de C.S. Lewis na forma em que ela foi organizada pelo mesmo após terminar de escrevê-las.
1 – O sobrinho do mago – 1955
2 – O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa – 1950
3 – O Cavalo e seu menino – 1954
4 – Príncipe Caspian – 1951
5 – A viagem do Peregrino da Alvorada – 1952
6 – A cadeira de prata – 1953
7 – A última batalha - 1956



Pois é o primeiro livro se passa anos antes de Edmundo, Lúcia, Pedro e Susana terem sua aventura ao mágico mundo onde animais falam e os filhos de adão são seus maiores amigos. Que diferença de nosso mundo? Aqui comemos animais e acabamos com o planeta.
Confesso que ainda não li toda a obra, estou somente no segundo livro, mas posso dizer que Lewis domina como ninguém a arte de dar voz e vontade aos animais. Um dos maiores autores de contos de fadas de todos os tempos.
Também não pretendo contar aquilo que li no primeiro livro, O sobrinho do mago (1955), somente deixar você leitor curioso e saber que veio a ler a história de Nárnia por curiosidade e assim se cativar com Lewis como eu tenho me cativado a cada dia que passa.
Tem leitores que falam: “Não vou ler isso porque é infanto-juvenil!”
Pergunto: “O Pequeno Príncipe” também não é catalogado como literatura infanto-juvenil? Entretanto diz muito sobre as dores e questionamentos de todo ser humano. Quem nunca releu o clássico de Antoine de Saint-Exupéry após ter ficado velho?
Dê uma chance às Crônicas de Nárnia neste natal e ano novo, maravilhe-se com o surgimento de Nárnia, como os primeiros animais surgiram, porque vieram a falar, o surgimento de ASLAN e da FEITICEIRA DE GELO. E o porquê do tal guarda-roupa ser a porta entre dois mundos!
Que criança nunca entrou num guarda-roupa e fingiu sair em outro lugar? Talvez seja por isso que C.S.Lewis criou a magia em torno dele.



Se você achou este post no nosso blogue grande, imagine você o que eu teria escrito se já tivesse lido a obra completa? (risadas)
Por aqui eu deixo vocês leitores à sua curiosidade. Se lerem “As Crônicas de Nárnia” e ficarem tão maravilhados como eu tenho ficado, por favor, escrevam pra gente e dividam sua alegria ou decepção conosco ok!
Um grande abraço e até a próxima!
Carlos Crow: borntoclick@gmail.com

“Cada vez que você faz uma opção está transformando sua essência

em alguma coisa um pouco diferente do que era antes.”

C.S.Lewis

AS CRÔNICAS DE NÁRNIA (VOL UNICO) / C.S.LEWIS
Editora Martins Fontes
2ed - 2009