27 dezembro 2011

Resenha: "Os gatos"

Além do meu vício por livros, sou completamente apaixonada por gatos. Quando vi "Os gatos" de Patricia Highsmith em uma livraria, não hesitei em comprar. Foi uma compra totalmente às escuras, eu não sabia do que se tratava, não conhecia a autora e não tinha a mínima ideia se era bom ou não. Foi a primeira vez que comprei um livro única e exclusivamente pela capa.

Ao ler a contracapa, vi que Patricia é autora de livros como "Pacto Sinistro" (que foi adaptado para o cinema por Alfred Hitchcock) e o famoso "O Talentoso Ripley" (também adaptado para o cinema, com direção de Anthony Minghella). Nunca li esses livros dela, mas vi ambos os filmes baseados nas obras e gostei muito. Então, eu já esperava coisa boa de "Os Gatos" e felizmente, não me decepcionei.



Logo na capa já temos informações sobre o livro: "Três histórias, três poemas, um ensaio e sete desenhos". 
As ilustrações são lindas e casam com o contexto do livro. Os poemas também são bem legais, mas o destaque mesmo fica para as histórias e o ensaio.

A primeira história se chama "Presentinho de Gato" e começa com amigos reunidos quando o gato da casa entra na sala com um "presente": dedos humanos. Aí começa o suspense e a investigação para saber o que aconteceu. A segunda, "A maior presa de Ming", é a mais tensa. Ming é um gatinho que sofre abusos por parte do namorado de sua dona. Até que ele consegue se defender e se vingar. A terceira e última se chama "A casa de passarinhos vazia" e conta a história de um casal que tem sua casa invadida por um bicho diferente, que eles não conseguem identificar. Então decidem pegar a gata de uns amigos emprestada para que ela mate o tal bicho. Com um tom muito sombrio, todas as histórias prendem a atenção do leitor. 

No final do livro temos o ensaio "Sobre gatos e estilo de vida". Nele, a autora conta um pouco da sua relação com os gatos. Segue um trecho:
Os gatos oferecem para o escritor algo que outros humanos não conseguem: companhia que não é exigente nem intrometida, que é tão tranquila e em constante transformação quanto um mar plácido que mal se move. 

Para quem curte suspense, este livro é bastante indicado. Claro que não é o melhor do gênero, mas é uma leitura bastante agradável, ainda mais para aqueles que amam gatos. :)