09 março 2012

18 anos sem Charles Bukowski

Há 18 anos, Charles Bukowski falecia de pneumonia, decorrente de um tratamento de leucemia. Aos 73 anos, Bukowski nos deixou, mas seus suas obras ficaram para que pudéssemos admirar um pouco do que era aquele gênio.


Como forma de homenagem, listei uma série de curiosidades a respeito do mesmo.

- Henry Charles Bukowski nasceu na Alemanha, mas se mudou com a família para os EUA, quando tinha 3 anos.

- Escreveu seu primeiro conto com 24 anos, mas só começou a publicar poesias aos 35 anos.

- Sempre teve problemas com o álcool, sendo hospitalizado diversas vezes durante sua vida. Numa delas o médico disse que se ele não parasse de beber ele morreria. Bukowski se assustou, mas pouco tempo depois estava de volta aos bares.

- A julgar pelos seus livros, todos pensam que Bukowski sempre foi um conquistador, mas ele só começou a se relacionar com mulheres depois dos 20 e poucos anos de idade. Sua primeira namorada foi Jane Cooney Baker, uma alcoólatra bem mais velha que ele conheceu em um bar. 

- Em 1955 ele se casou com Barbara Frye, mas o casamento durou pouco. Em 1964 nasceu sua única filha, Marina, fruto de uma relação com a poetisa FrancEyE.


- Ele escreveu 6 romances, 11 livros de contos e uma infinidade de poesias.

- Suas obras possuem um intenso caráter autobiográfico. Por exemplo, no livro Misto Quente ele fala dos sérios problemas que ele teve com acne e como isso afetou sua vida.

- Apesar de ser considerado um escritor beat, ele nunca se associou a outros escritores dessa geração. Em alguns de seus textos ele expressa alguma amizade com Jack Kerouac, porém sempre falava com ironia de William S. Burroughs

- Avesso às entrevistas, poucas foram publicadas. Mas no documentário Bukowski: Born Into This, encontramos alguns trechos, inclusive um em que ele agride sua esposa. 

- Já foram feitos 4 filmes baseados em suas obras: Crônica de um Amor Louco (1981), Barfly (1987), Crazy Love (1987) e Factotum (2005). Barfly foi o mais famoso, justamente por ter Mickey Hourke no papel de Henry Chinaski. Porém, dizem que o preferido de Bukowski era o belga Crazy Love. Em 2011, James Franco disse que estava estudando fazer uma adaptação do livro Misto Quente


- Bukowski foi fortemente influenciado pela escrita de John Fante. E graças a ele, os livros de Fante foram reeditados nos anos 80. 

E para fechar, o último poema de Bukowski.


Essa foi minha singela homenagem para aquele que considero o melhor escritor de todos os tempos. Ele não obedecia padrões e não se fixava a regras. Bukowski escreveu com a alma. 


R.I.P.