25 março 2012

Cursos de Biblioteconomia

O bibliotecário necessita de uma formação apropriada para desempenhar as funções da sua profissão, mas são poucos os funcionários das bibliotecas que se submetem a cursos profissionalizantes ou até mesmo superior.
O estudo da biblioteconomia é oferecido por inúmeras universidades do Brasil, públicas e particulares.
Mais do que ordenar livros, o bibliotecário precisa organizar informações. O profissional lidará diariamente com o público, por isso é necessário que seja carismático e comunicativo. Usar programas de computadores que auxiliem o trabalho também é uma missão do bibliotecário, essa tecnologia está ganhando significativa importância na área. A UNESP (Universidade do Estado de São Paulo) promove o melhor curso de biblioteconomia em SP, disponível no período diurno no campus de Marília. Com duração de quatro anos, a formação fornece uma base sólida aos estudantes, que desenvolvem projetos de pesquisa dentro da própria faculdade. Esse curso gratuito desenvolve diversas competências nos alunos, como recuperação e disseminação de informações e o procedimento para armazenar dados no sistema de organização.
O curso para bibliotecário gratuito da UNESP incentiva o aluno a fazer pesquisas científicas, trabalhos complementares que fornecem novos conhecimentos a cerca da área.
O programa de pós-graduação em Ciências da Informação é muito procurado pelos profissionais que já concluíram o curso superior de biblioteconomia.

O Mercado de Trabalho 
A expansão de instituições de Ensino Superior e de escolas técnicas aumenta as vagas para os bibliotecários, já que esses estabelecimentos precisam organizar seus bancos de dados e acervos.

“Grande parte dos recém-formados consegue emprego com facilidade logo nos primeiros seis meses”, diz Daniela Pereira dos Reis de Almeida, vice-coordenadora do Conselho do Curso de Biblioteconomia da Unesp de Marília. A necessidade das empresas de obter e utilizar a informação como ferramenta para aumentar a competitividade possibilita ao bibliotecário trabalhar nas áreas ligadas à tecnologia e à internet. Estas são o novo atrativo para o bacharel, que atua na organização de conteúdo em espaços virtuais, como intranet, na gestão de serviços de informação e na avaliação de conteúdos em bibliotecas digitais. Nesse campo, há oportunidades em empresas, centros de documentação públicos e privados, museus, editoras e livrarias. Hospitais, escritórios de advocacia e ONGs também são fontes de oportunidades. Os órgãos públicos abrem concursos regulares para contratar o profissional. As bibliotecas do Poder Judiciário são as que mais têm buscado esse bacharel. “Outros exemplos de empregadores são a Petrobras e a Marinha”, completa a coordenadora Daniela Almeida. Ele também encontra trabalho em centros culturais, salas de leitura e de lazer, galerias de arte, brinquedotecas, cinematecas, pinacotecas e videotecas. São Paulo é o estado que mais emprega, mas há boas ofertas no Rio de Janeiro e em Brasília, nas áreas de gestão de serviços e análise de informação. Também há crescimento do mercado de trabalho nas regiões Nordeste e Centro-Oeste.

Caso os bibliotecários estejam interessados em obter uma formação, mas não disponham de tempo, a dica é procurar um curso de biblioteconomia à distância, que são encontrados normalmente no formato semi-presencial. A UAB (Universidade Aberta do Brasil) oferece o curso de bacharelado na área graças a sua parceria com o Conselho Federal de Biblioteconomia (CFC). Voltado para os profissionais já atuantes em bibliotecas, o curso de biblioteconomia EAD ainda está em fase de planejamento, com o seu conteúdo sendo produzido por grandes profissionais dessa área.


No SENAC há o curso Técnico em Biblioteconomia
No Wikipédia consta uma lista das escolas de biblioteconomia existentes no Brasil.
A UNIFAI de São Paulo oferece um bacharelado em biblioteconomia com duração de seis semestres.
Na FESPSPum dos cursos mais conceituados de Biblioteconomia do Brasil, além do curso na USP