12 março 2012

Retrospectiva Literária até 2011 - Por Patrícia Oliveira

A Michelle fez sua retrospectiva de 2011 aqui. Então, resolvi fazer minha retrospectiva ATÉ 2011. Parece fácil responder esses questionários, mas é difícil. Posso cometer algumas “injustiças” e não “classificar” o livro da melhor maneira, mas vamos lá...

Retrospectiva Literária – até 2011.

O livro infanto-juvenil que mais gostei: O Escaravelho do Diabo (entra nessa categoria?).

A aventura que me tirou o fôlego: Crônicas do Rei Artur (Bernard Cornwell)

O terror que me deixou sem dormir: O Exorcista (Willian Peter Blatty)

O suspense mais eletrizante: A Sombra do Vento (Carlos Ruiz Zafón)

O romance que me fez suspirar: O Crime do Padre Amaro (Eça de Queiroz). Suspirar não é bem a palavra, fiquei empolgada com o romance do padre com a moça e as “loucuras” que eles faziam para viver esse amor.

A saga que me conquistou: Crônicas Saxônicas (Bernard Cornwell)mas ainda não acabou.

O clássico que me marcou: Crime e Castigo (Dostoiévski)

O livro que me fez refletir: O Livro do Desassossego (Fernando Pessoa)

O livro que me fez rir: Marley & Eu / Flush ambos de cãezinhos, que sempre me fazem rir e chorar.

O livro que me fez chorar: A Cidade do Sol (Khaled Hossini)

O melhor livro de fantasia: O Senhor dos Anéis (J.R.R.Tolkien)

O livro que me decepcionou: A Mulher de 30 de anos (Honoré de Balzac)

O livro que me surpreendeu: Memórias de Minhas Putas Tristes (Gabriel Garcia Marquez)

A frase que não saiu da minha cabeça: “O destino é inexorável”
O casal perfeito: Otsu e Musashi (de Musashi – Eiji Yoshikawa)

O melhor livro nacional: A Hora da Estrela (Clarice Lipector)

O melhor livro que li em 2011: Os Pilares da Terra (Ken Follett)

Li em 2011: 20 livros.

A minha meta literária para 2012 é: 21 livros ou mais (rs).