08 abril 2012

Jogos Vorazes

Levar as crianças de nossos distritos, forçá-las a se matar umas às outras enquanto todos nós assistimos pela televisão. 


Faz pouquíssimo tempo que descobri o que era o tal Young Adult (Jovem Adulto). Do estilo, até o momento eu só tinha lido a saga Crepúsculo (que eu detestei), então eu nunca tinha dado muita atenção. Até que comecei a ler em todos os blogs de Literatura ótimos comentários sobre a série The Hunger Games, aqui, Jogos Vorazes. Achei muito interessante e decidi comprar o livro. Foi minha segunda leitura de YA (tenho Looking for Alaska também e devo ler em breve) e devo dizer que me surpreendi positivamente.

O livro é uma distopia, ou seja, se passa num futuro um tanto quanto caótico. Não existe mais EUA, há apenas Panem, que é dividida em 12 distritos. Todo ano são escolhidos dois adolescentes de cada distrito para que eles lutem até a morte, só pode haver um sobrevivente. O enredo todo gira em torno de Katniss Everdeen, do distrito 12.

O enredo parece familiar? Pois é, li em algum lugar que a autora Suzanne Collins se inspirou em Battle Royale para criar a saga. Em Battle Royale, alunos de uma determinada escola são colocados em uma ilha para que lutem até a morte. Exatamente isso que a autoria escreveu. Mas nos dias de hoje, o que é inteiramente criativo? Como diz o velho ditado "Nada se cria, tudo se copia".

Achei a abordagem da autora um pouco diferente da de Battle Royale. Em seu livro, todo o confronto é televisionado e mostra as pessoas vibrando a cada morte. Crítica mais que direta aos Big Brothers da vida. 1984, né? Admirável Mundo Novo, né? Digamos que a autora bebeu em diversas fontes e criou uma história bacana.

Claro, esse livro deve ser lido com o pensamento de que é para jovens,  não espere nenhum questionamento profundo de uma distopia. Mas mesmo assim, achei bem bacana o que a autora fez e espero que Jogos Vorazes leve o leitor a procurar os clássicos já citados como 1984 e Admirável Mundo Novo.

Apenas um comentário sobre essa questão de a "guerra" ser televisionada: basta pensar nos gladiadores da Roma Antiga. Eles lutavam até a morte nas arenas enquanto as pessoas assistiam e aplaudiam. É exatamente isso que acontece em Jogos Vorazes. Há muito o ser humano tem esses sentimentos estranhos...

Há algum tempo chegou ao Brasil a adaptação de Jogos Vorazes para o cinema. Assisti na semana passada e gostei muito. Claro que alguns detalhes foram mudados, mas gostei muito da maneira como a história ficou na tela. Apenas achei que eles "pegaram leve", no livro as coisas são bem mais cruéis. Mas no geral, é um bom filme.