Jogos Vorazes

Levar as crianças de nossos distritos, forçá-las a se matar umas às outras enquanto todos nós assistimos pela televisão. 


Faz pouquíssimo tempo que descobri o que era o tal Young Adult (Jovem Adulto). Do estilo, até o momento eu só tinha lido a saga Crepúsculo (que eu detestei), então eu nunca tinha dado muita atenção. Até que comecei a ler em todos os blogs de Literatura ótimos comentários sobre a série The Hunger Games, aqui, Jogos Vorazes. Achei muito interessante e decidi comprar o livro. Foi minha segunda leitura de YA (tenho Looking for Alaska também e devo ler em breve) e devo dizer que me surpreendi positivamente.

O livro é uma distopia, ou seja, se passa num futuro um tanto quanto caótico. Não existe mais EUA, há apenas Panem, que é dividida em 12 distritos. Todo ano são escolhidos dois adolescentes de cada distrito para que eles lutem até a morte, só pode haver um sobrevivente. O enredo todo gira em torno de Katniss Everdeen, do distrito 12.

O enredo parece familiar? Pois é, li em algum lugar que a autora Suzanne Collins se inspirou em Battle Royale para criar a saga. Em Battle Royale, alunos de uma determinada escola são colocados em uma ilha para que lutem até a morte. Exatamente isso que a autoria escreveu. Mas nos dias de hoje, o que é inteiramente criativo? Como diz o velho ditado "Nada se cria, tudo se copia".

Achei a abordagem da autora um pouco diferente da de Battle Royale. Em seu livro, todo o confronto é televisionado e mostra as pessoas vibrando a cada morte. Crítica mais que direta aos Big Brothers da vida. 1984, né? Admirável Mundo Novo, né? Digamos que a autora bebeu em diversas fontes e criou uma história bacana.

Claro, esse livro deve ser lido com o pensamento de que é para jovens,  não espere nenhum questionamento profundo de uma distopia. Mas mesmo assim, achei bem bacana o que a autora fez e espero que Jogos Vorazes leve o leitor a procurar os clássicos já citados como 1984 e Admirável Mundo Novo.

Apenas um comentário sobre essa questão de a "guerra" ser televisionada: basta pensar nos gladiadores da Roma Antiga. Eles lutavam até a morte nas arenas enquanto as pessoas assistiam e aplaudiam. É exatamente isso que acontece em Jogos Vorazes. Há muito o ser humano tem esses sentimentos estranhos...

Há algum tempo chegou ao Brasil a adaptação de Jogos Vorazes para o cinema. Assisti na semana passada e gostei muito. Claro que alguns detalhes foram mudados, mas gostei muito da maneira como a história ficou na tela. Apenas achei que eles "pegaram leve", no livro as coisas são bem mais cruéis. Mas no geral, é um bom filme.

Comentários

  1. Como sempre você Michelle Henriques, me fazendo querer ler livros que nunca sequer pensaria em ler. Sua malvada!!!rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha Michelle! Muito em breve pretendo ler Jogos Vorazes. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei da ideia, darei chance à ele um dia, I promisse myself!

    ResponderExcluir
  4. Tem sido bem comum pegar pedaços de várias obras e costurar uma "nova" ... as vezes o resultado é excelente ... Tarantino que o diga ... ainda não li esse Jogos Vorazes, mas tenho certa curiosidade ...

    ResponderExcluir
  5. Quero assistir e lê-lo depois =(
    Nem me chamou!

    ResponderExcluir
  6. Pretendo ler, mas vou precisar de muito amor no coração para não odiar logo de cara, só pelo fato da autora ter copiado uma boa parte do enredo de 1984!

    Ótima resenha (:

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem vindo(a) ao Dose Literária.
Agradecemos seu comentário e tentaremos responde-lo assim que possível ;)