04 maio 2012

As Travessuras da Menina Má, por Michelle

Meu primeiro contato com Mario Vargas Llosa foi em 2008 quando ganhei o livro As Travessuras da Menina Má. Eu não sabia absolutamente nada sobre o autor e posso dizer que foi um ótimo começo. Li o livro em menos de 3 dias e fiquei completamente apaixonada pelo romance de Ricardito e a Menina Má. Quando a Celle sugeriu que este fosse o livro a ser discutido, eu não poderia ficar mais feliz. Livros assim devem ser relidos depois de algum tempo, então foi uma ótima oportunidade.


Como as meninas já escreveram a respeito, o enredo gira em torno de Ricardito e sua paixão, a Menina Má, que ele conhece desde criança e a encontra em diversos momentos de sua vida, em situações e lugares inusitados. Eu gosto demais do livro, só acho que ele peca um pouco nas "coincidências". Ok que estamos falando de ficção, de algo fantasioso, mas em determinadas partes beira o absurdo. Duas pessoas podem sim se encontrar no mundo afora, mas não tantas vezes. Mas isso é apenas um detalhe que não estraga o livro de forma alguma. 

Nós do Dose trocamos vários emails discutindo nossas opiniões sobre o livro. Ricardito era um homem apaixonado ou homem tonto? A Menina Má era realmente má ou ela estava apenas vivendo a vida dela? O ponto forte de Llosa é esse, ele faz com que você tenha diversos sentimentos ao ler cada página. Da primeira vez que li odiei a Menina Má, senti nojo das atitudes dela e senti muita pena de Ricardito. Da segunda vez, já comecei a ver a Menina Má como uma pessoa livre (até determinado ponto) que vive à sua maneira e se Ricardito quisesse estar ao seu lado, teria que entender isso.

Com toda certeza, esse é um dos melhores livros que eu já li na minha vida. Llosa é um excelente escritor e pude comprovar isso lendo Elogio da Madrasta, outra obra fantástica. 

Nossa próxima leitura será Walden ou A Vida nos Bosques, de Henry David Thoreau, indicação da Anna. 

Mario Vargas Llosa