17 maio 2012

Etílicas inspirações; ébrios escritores (Parte I)

Para alguns, o álcool é um aditivo para que a percepção, a criatividade e a inspiração surjam com mais facilidade e espontaneidade. Uns bebem socialmente, outros apreciam uma dose diária sem exageros para liberar libidos e esconder timidez, já outros são cachaceiros assumidos e muitas vezes conhecidos por isso, não escondendo o vício.
Aqui listamos alguns grandes escritores conhecidos não somente por suas doses literárias (rá!), mas por apreciarem também uma boa dose de cachaça!

Hunter S. Thompson (1937 – 2005): Sua obra mais conhecida trata do efeito de drogas alucinógenas como a mescalina, LSD, éter, dentre outras como cocaína e maconha e do abuso de álcool, Thompson experimentou todas. Bebeu muito e era viciado em tabaco, sendo conhecido por sempre estar com uma piteira na boca, o que virou uma marca registrada, também era colecionador de armas. Suicidou-se com um tiro de espingarda na cabeça aos 68 anos.
Hunter S. Thompson
Mario Quintana (1906 – 1994): Certa vez ao cruzar com um amigo em um bar, pela manhã, o mesmo o pergunta: _Já bebendo, Mario? No que o poeta responde: _Já, não. Ainda! Nunca teve filhos nem se casou, seu único casamento foi com a bebida e com a literatura. Este gaúcho viveu boa parte de sua vida em hotéis e sem dinheiro, tinha sempre como companheiro um copo em suas mãos. 
Mario Quintana
Charles Bukowski (1920 – 1994): A literatura de Bukowski fala sobre bebedeiras, mulheres, corrida de cavalo e ressacas homéricas, portanto é considerado um dos escritores mais beberrões da história. Buk começou a beber muito cedo e assim foi até o fim da vida. Sofria pela falta de afeto dos pais e humilhações por ter o rosto deformado por cicatrizes de acnes, encontrando na bebida e nos livros a melhor companhia para amenizar seus traumas. Devido ao consumo exacerbado de álcool e o vício em jogo, durante toda a sua vida perdeu vários empregos, mulheres, dinheiro, o convívio com a filha, e chegou a morar na rua e em lugares imundos, mas sempre tentava sobreviver com seus escritos e fazendo bicos. Faleceu de leucemia.
Charles Bukowski
Stephen King (1947): Por mais de 10 anos teve problemas com a bebida. King já morou em um trailer com sua família antes de atingir a notoriedade, e logo após ter lançado seu primeiro livro “Carrie” (1974), sua mãe faleceu de câncer no útero, sendo esta a época em que mais bebeu. Chegou a afirmar que o personagem Jack Torrance do livro “O Iluminado” (que era um alcoólatra), foi uma inspiração dele mesmo.
Stephen King

Jack London (1876 - 1916): Teve uma infância e adolescência conturbada, filho adotivo, encontrou na bebida um refúgio. London viajou muito como marinheiro e tal ofício favorecia o consumo de álcool deliberadamente, chegando a ser preso por vadiagem. Confessou em um dos seus textos que metade dos seus escritos foram feitos sob efeito de bebidas, e que nos últimos períodos, antes de falecer devido a uma overdose de morfina, na qual usava para suprimir a dor lancinante provocadas por uma uremia; não conseguia passar sequer um dia de sua vida sem ingerir qualquer bebida alcoólica.
Jack London
Ernest Hemingway (1899 - 1961): “Um homem inteligente às vezes é forçado a ficar bêbado para gastar um tempo com suas bobagens”, tal frase, dita pelo próprio escritor, representa bem o estado de espírito de Hemingway, que nem sempre suportava o estado sóbrio. Casou-se quatro vezes e em todo este período nunca dispensou um bom trago, quando aos 61 anos, suicidou-se com um fuzil de caça.
Ernest Hemingway
Edgar Allan Poe (1809 - 1849): O álcool trouxe alguns problemas na vida pessoal de Poe, em todas as suas tentativas de ingressar numa carreira militar não obteve sucesso devido a esse “pé no boteco” e no vício em jogos. Depois de iniciar sua vida literata e após o falecimento da esposa e prima Virgínia Clem, é que o escritor se entregou de verdade ao vício do álcool. Poe foi encontrado em estado de delirium tremens devido ao consumo excessivo de álcool e veio a falecer quatro dias depois.
Edgar Allan Poe
 E ainda tem a segunda parte dos grandes gênios e bêbados!