08 junho 2012

Etílicas inspirações; ébrios escritores (Parte IV)

Última parte da lista dos grandes escritores "pés-de-cana".
Confira:
Parte I: Hunter S. Thompson; Mario Quintana; Charles Bukowski; Stephen King; Jack London; Ernest Hemingway e Edgar Allan Poe.
Parte II: Jack Kerouac; Raymond Chandler; William S. Burroughs; Alexandre Dumas;
F. Scott Fitzgerald e Nelson Rodrigues.
Parte III: Willian Faulkner; Rubem Fonseca; Allen Ginsberg; Charles Baudelaire; Oscar Wilde; John Fante e Henry Miller.


Paulo Leminski (1944 – 1989): O Curitibano escritor, poeta, crítico literário, professor e tradutor possui uma extensa lista de obras e trabalhos em seu currículo, era intelectual, culto, poliglota (falava 6 idiomas) e considerado um gênio por muitos, mas não largava o copo. Bebeu a vida inteira, apesar de ser professor e faixa preta em judô, também foi letrista para diversos artistas da MPB. Sofreu durante os últimos anos de sua vida devido aos excessos alcoólicos, e faleceu aos 44 anos em consequência do agravamento de uma cirrose hepática.
Paulo Leminski
Arthur Rimbaud (1854 – 1891): O poeta produziu suas obras mais famosas quando era ainda adolescente, conhecido por sua fama de libertino e por uma alma inquieta, manteve um relacionamento homossexual com o poeta Paul Verlaine, levando uma vida ociosa regada a muito absinto e haxixe. O amante então, que era conhecido por seus impulsos agressivos quando estava bêbado, chegou a disparar dois tiros em Rimbaud, que foi ferido no pulso quando ainda tinha 18 anos. Desiludido com o relacionamento, passa a viajar de forma intensiva por três continentes, entre experiências amorosas com uma negra da Etiópia, muitos porres alcoólicos e sob o efeito do haxixe, Rimbaud escreve “Um Temporada no Inferno” em que narra esses acontecimentos de sua vida. Influenciou diversos artistas e escritores, Paulo Leminski o descreveu como “O Poeta Roqueiro”. Morreu de câncer aos 37 anos de idade.
Arthur Rimbaud
Anthony Burgess (1917 – 1993): Escritor, compositor e crítico, o inglês Anthony Burgess é conhecido por sua obra “Laranja Mecânica”, livro este que foi produzido quase que inteiramente sob o efeito de álcool, refúgio que Burgess encontrou após o traumático e perturbador acontecimento em que sua esposa Llwela foi assaltada e estuprada durante a Segunda Guerra Mundial e acabou perdendo o bebê que estava esperando. Para lidar com isso, Llwela também tornou-se alcoólatra e faleceu em 1968 de cirrose hepática. Diagnosticado com câncer no cérebro, Burgess passa então a escrever frenéticamente, beber e fumar seus charutos, tendo como previsão médica somente mais um ano de vida, mas o diagnóstico estava errado, pois ele viveu por mais 34 anos, falecendo aos 76 em Londres.
Anthony Burgess
Paul Verlaine (1844 – 1896): Era considerado um “poeta maldito” juntamente com outros poetas franceses da época por seu conteúdo chocante ou de visão moral caracterizado como “decadente”. Casou-se e teve um filho, mas ambos sofriam de abusos durante as iras alcoólicas de Verlaine, que após conhecer o jovem Arthur Rimbaud larga a esposa e filho pequeno para viver na esbórnia com o amante, dez anos mais jovem. Era temperamental, principalmente sob o efeito da bebia, e já foi preso condenado a dois anos de prisão por tentativa de homicídio contra o então apaixonado Rimbaud. Era um beberrão, violento, mas uma das mentes mais ativas e influentes da poesia francesa do final do século XVII. Verlaine faleceu aos 52 anos em Paris.
Paul Verlaine
John Steinbeck (1902 – 1968): O escritor estadunidense que ganhou o prêmio Nobel de Literatura em 1962, utilizou-se de uma boa dose de seu tom irônico aliada a um humor inteligente em várias de suas obras, firmando-se como autor de prestígio por sua obra “Boêmios Errantes”. Casou-se em 1943 com a cantora Gwyndolyn Conger com quem teve dois filhos, mas a separação veio 6 anos depois. O autor encontrou no consumo excessivo de álcool um lenitivo para a frustração da separação e da vida na cidade, e logo depois refugiou-se numa propriedade rural inglesa. Muitos de seus livros tiveram adaptações para o cinema, como o “As Vinhas da Ira” (1939). Aos 66 anos morre vítima de um ataque cardíaco.
John Steinbeck

E a lista não termina aqui! Conheça mais alguns nomes de escritores beberrões da nossa literatura mundial: George S. Kaufman, Dorothy Parker, Harold Ross, Robert E. Sherwood, Dashiell Hamett, Walt Whitman, Frederick Exley, Harry Crews, Tennesse Williams, Lillian Helmann, Edmund Wilson, Truman Capote, H.L. Mencken, Eugene O’Neill, Sinclair Lewis, John Cheever, Allen Tate, Caroline Gordon, Ring Lardner, Dorothy Parker, Robert Lowell, O. Henry, Conrad Aiken, Jonh Berryman, e os brasileiros Lima Barreto e Vinícius de Morais.

Eram abstêmios: Nathaniel Hawthorne, Mark Twain, Mary McCarthy, Upton Sinclar, Emily Dickinson, Henry D. Thoreau, Zane Gray, Ralph Waldo Emerson, Willa Cather, James Michener, Lillian Hellman, Tom Wolfe e Flannery O’Connor, entre outros.