26 junho 2012

Poesia: Espumas Flutuantes


O Coração 

O Coração é o colibri dourado
Das veigas puras do jardim do céu.
Um - tem o mel da granadilha agreste,
Bebe os perfumes, que a bonita deu.

O outro - voa em mais virentes balças,
Pousa de um riso na rubente flor.
Vive do mel - a que se chama - crenças -,
Vive do aroma - que se diz - amor.

Poema de Castro Alves do livro "Espumas Flutuantes"
Editora: Expressão e Cultura
Edição de 2001.