05 julho 2012

Redes sociais para livrólatras

Nós brasileiros amantes de livros e leituras estamos familiarizados com um ou outro site que reúne milhares de títulos para listarmos os que lemos e os que temos interesse em ler baseado nas sinopses, recomendações e resenhas de livros feitos pelos próprios usuários que têm a total liberdade para cadastrar desde best-sellers até os títulos desconhecidos, e ainda fazer amigos, divulgar blogs pessoais, participar de grupos e fóruns de determinados escritores, editoras e gêneros literários, troca de livros, dentre diversas outras funções voltadas ao mundo dos livros e da literatura.
Mas além das redes sociais brasileiras que conhecemos, a cada ano surgem novas opções com diversas outras ferramentas e funções, decidi então listar as principais:

Se eu te perguntar agora qual a rede social de leitores que você conhece e possivelmente tem um cadastro, a resposta seria o Skoob, certo?

1) Skoob:

O Skoob é uma opção nacional muito atraente para quem lê bastante em português. O site possui um grupo ativo de desenvolvedores e está crescendo bastante. Também é rico em funções e parece enfatizar o fator social mais do que os demais serviços.
Atualmente o Skoob (www.skoob.com.br) possui quase 60 mil usuários, e mais de 200 mil títulos cadastrados, onde o foco é socializar os leitores. Recentemente com a função de usuário PLUS, você pode trocar os livros lidos de sua estante por outros que tem interesse, são mais de 2 milhões de títulos disponíveis para troca. Esta rede social conta com a colaboração plena de seus usuários para agregar conteúdo ao site.

2) O Livreiro:
O Livreiro possui funções mais limitadas, porém, focadas não só na listagem de títulos, mas na venda dos livros que o leitor está a procura. Contém resumo de obras, trechos de livros e busca parcerias para promover a leitura em nosso país e aumentar o número de leitores.
O também brasileiro O Livreiro (www.conhecaolivreiro.com.br) diferente do Skoob, proporciona ao leitor uma busca mais apurada dos títulos, contendo trechos de livros e links de sites de compras das livrarias e editoras parceiras, o que se torna uma vantagem aos leitores pois seus usuários tem desconto na maioria das compras. Ainda em ascensão, o site possui uma lista com o resumo de livros da literatura brasileira que caem nos principais vestibulares, além de ter como missão ajudar a tornar o Brasil um país de leitores.

3) Tempresto:

Lançado em março deste ano, e criado por 3 gaúchos de Santo ângelo/RS, o Tempresto ganhou envergadura no mundo dos livros com menos de dois meses de operação. É pelo site que leitores de diferentes pontos do país trocam obras, dicas e comentários sobre literatura.
A ideia central do Tempresto (www.tempresto.com.br) é gerenciar a biblioteca do usuário. Ele irá fazer o cadastro virtual dos seus livros físicos. Até mesmo uma foto de sua biblioteca pode ser colocada no site. A partir do cadastro dos livros, o usuário irá convidar e procurar amigos para fazerem trocas entre si. Em geral, a troca é feita pessoalmente ou pelo correio. Neste caso, a dupla em questão negocia os custos caso a caso. No site há um sistema de gerenciamento de todo o processo do empréstimo, os usuários também podem colocar informações sobre livros que querem ler, emprestar ou ganhar, pois o site irá avisar os amigos que o usuário está de aniversário e os livros que ele quer ganhar de presente. O Tempresto também sempre está realizando sorteios de livros entre os seus usuários.

4) LibraryThing:

Uma grande população de usuários, interface completíssima e enorme gama de funções são os trunfos do LibraryThing. O serviço pode ser um pouco confuso no início, mas se mostra excelente aos pacientes que decidem ficar.
É o maior clube literário do mundo. Para quem costuma ler livros em outros idiomas, o site está disponível em mais de 30 idiomas, com mais de 1 milhão e meio de usuários. Na LibraryThing (br.librarything.com) você encontra grupos sobre diversos tópicos, grandes coleções de livros, de autores e gêneros, através das tags. Sua versão traduzida é feita pelos próprios usuários.
Os desenvolvedores estão em constante trabalho, inventando funções novas a cada momento. O serviço é tão eficiente que algumas bibliotecas nos EUA utilizam o LibraryThing para catalogar o próprio acervo. Atualmente é o site mais utilizado por leitores do mundo inteiro. O usuário pode importar sua biblioteca de outras redes, sem precisar adicionar um por um, possui livros gratuitos de editoras e autores, e você pode catalogar até 200 títulos gratuitamente.

5) Shelfari:

Comprado ano passado pela Amazon, o Shelfari é um dos mais bonitos, com o seu artifício da estante. Ele possui uma interface intuitiva que não requer quase nenhum aprendizado, mas peca na falta de opções de livros e funções.
O Shelfari (www.shelfari.com) é uma forma muito bonita de organizar a sua coleção e, como o nome sugere, gira em função da estante virtual do usuário. Ele possui menos opções de livros que o LibraryThing e adicionar títulos novos é meio complicado. A interface é bastante simples. Sempre que você passa o mouse por cima de algo o Shelfari dá diversas opções de interação, como escrever uma resenha ou colocar tags ou botar em listas do tipo “planejo ler” ou “lido”.
Se você não lê títulos em inglês, o Shelfari não tem muito a oferecer. Como ele tira todos os seus títulos da Amazon, existem poucos livros em português que não sejam clássicos da literatura.

Além destas cinco principais indicações, ainda tem o Google Livros, que como gerenciador de listas, em suas funções básicas nada de difere das anteriores, apesar de ter suas capas e resumos retirados dos próprios arquivos do Google.

E vocês, leitores, conhecem e utilizam mais alguma rede social voltada para os apaixonados por livros e listas?