Garotas de Vidro + A Lista Negra

Até ano passado eu não sabia o que era YA (young adult). Conheci o termo graças aos diversos blogs sobre livros que passei a acompanhar. Eu me dei conta de que além da saga Crepúsculo eu não tinha lido nenhum dos livros citados. Logo de cara, tive um certo preconceito, justamente por não ter gostado dos livros de Stephanie Meyer. Mas de uns tempos para cá deixei o preconceito de lado e comecei a ler alguns livros YA. Os primeiros foram os da trilogia Jogos Vorazes e devo dizer que gostei demais dos mesmos. 

O chamado YA Sobrenatural não me chama a atenção, mas gosto daqueles que tratam da adolescência em si. Claro que não estamos diante de clássicos da literatura, mas alguns são livros bem escritos que podem abrir portas para outras leituras mais profundas. Ao ler YA deve-se ter em mente que é um livro para jovens adultos, literalmente, e julgá-los baseando-se nisso. 

Hoje vou falar de dois livros YA que li recentemente e gostei bastante: Garotas de Vidro e A Lista Negra

Garotas de Vidro (Laurie Halse Anderson)

Lia é uma garota que sofre de anorexia e além de ter que lidar com seus próprios demônios, um dia descobre que sua amiga Cassie faleceu sob circunstâncias estranhas em um quarto de motel. E o pior, Cassie havia ligado 33 vezes no celular de Lia naquela noite. 

A anorexia é uma doença que afeta muitas (e muitos) jovens e pouco se fala sobre a mesma. A autora soube lidar com o tema, mostrando o sofrimento da personagem Lia em busca de um peso ideal, que em sua mente era menos de 40kg. Também vemos sua relação com os colegas e familiares, além de sua obsessão com a comida. 

A autora não poupa palavras para descrever a situação clínica daqueles que sofrem de anorexia, bem como as alucinações que Lia começa a ter com sua amiga Cassie. Não é uma leitura fácil e nem agradável, mas recomendo a todos que queiram entender a anorexia. Como eu disse no começo do texto, não é um livro adulto e nem profundo, mas é um alerta para adolescentes que sofrem com a auto imagem. 

A Lista Negra (Jennifer Brown) 

Nick e Val são um casal que sofre bullying diariamente na escola. Resolvem então escrever os nomes das pessoas que os maltratam em um caderno, nomes das pessoas que eles gostariam que morressem. Certo dia, sem que Val saiba, Nick entra armado na escola e começa a atirar naquelas pessoas cujos nomes estavam na lista. 

O livro conta como Val tentou se recuperar após o massacre em sua escola. Muitos a acusam de ter planejado os assassinatos com Nick, mas ela precisa provar para a polícia, para os colegas de escola e para a família que aquele era apenas um desabafo inocente, não um plano, pelo menos para ela.

Sempre vemos notícias de massacres que ocorrem em diversas escolas espalhadas pelo mundo inteiro, inclusive aqui no Brasil tivemos uma tragédia dessas no ano passado. Este livro trata de bullying e das consequências extremas que este pode acarretar. É um livro denso, ele expõe os problemas que alguns jovens passam de forma bastante realista. 



YA não é meu gênero preferido, mas gosto de saber o que os adolescentes andam lendo. Sou bastante seletiva e escolho apenas os temas que me interessam muito. Apenas digo que deixem o preconceito de lado, pois há ótimos livros dentro do gênero, como os dois citados acima, basta saber selecionar.

Em uma edição antiga da Revista Entrelivros há um texto muito interessante chamado Decálogo do Leitor. Segue um dos trechos que eu mais gosto:

Tente evitar a repetição dos mesmos gêneros, dos mesmos temas, dos mesmos estilos, dos mesmos autores. A grande literatura está espalhada por romances, contos, crônicas, poemas e peças de teatro. Nenhum gênero é, em tese, superior a outro. Não se preocupe, aliás, com o conceito de gênero: história, filosofia, etnologia, memórias, viagens, reportagem, divulgação científica, auto-ajuda - tudo isso pode ser literatura. Um bom livro tem de ser inteligente, bem escrito e capaz de provocar alguma espécie de comoção. 

Assim embaixo. 
Boa leitura a todos. :)

Comentários

  1. Faço das tuas palavras as minhas, Mi!
    De tempos pra cá li alguns livros infanto-juvenil da Mônica (minha filha, rs) para saber o conteúdo dos mesmos e debater com ela sobre a história (nosso mini clube do livro em casa, rs), então estou livre de qualquer preconceito quanto a leitura juvenil/adolescente.
    Inclusive verei se há algum lançamento do gênero para a idade dela, com um tema que ela goste. Mas conhecendo já os gostos dela, sei que esse tipo de leitura ela conhecerá muito em breve, assim que entrar na idade.

    Belo texto, amiga. :-*

    ResponderExcluir
  2. Que interessante, Mi! Confesso que não sei exatamente como me situar no YA porque não leio. Aliás, li a sagra Crepúsculo. Mas fica a dica. :)

    Me interessei bastante por esse "A Lista Negra". É um assunto que chama a minha atenção porque trata de violências bárbaras cometidas por pessoas que estão começando a vida. Tem volta? É a pergunta que, vez ou outra, me faço.

    Valeu :)

    Beijos e luz,

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem vindo(a) ao Dose Literária.
Agradecemos seu comentário e tentaremos responde-lo assim que possível ;)