04 setembro 2012

Suicídios Exemplares


Já devo ter lido uns 7 livros desde que comentei sobre algum livro por aqui, então vamos colocar isso em dia (rs).

Hoje vou comentar sobre o livro “Suicídios Exemplares” do escritor espanhol Enrique Vila-Matas que foi indicado pela nossa amiga do blog Emanuela Siqueira numa troca de e-mails falando sobre livros e sobre a coleção Literatura Ibero-Americana da Folha do qual comprei um exemplar, ansiosíssima para ler.

Suicídios Exemplares é uma antologia com 10 contos sobre tentativas de suicídios, pessoas (personagens) que em algum momento optam por tirar a própria vida, mas por algum motivo desistem ou algo dá errado. Diferentes contos, diferentes irônicas maneiras de mostrar a Morte que esteve muito próxima.
Acho que o comentário que pode resumir tudo isso é do escritor Joca Reiners: “Os personagens fracassam até na hora de fracassar”.  

Segundo o próprio escritor em seu site, Enrique disse que escreveu o livro ao questionar a relação entre a vida e a morte e explica no prefácio “Viajar, perder países” e que parafraseia a frase de Fernando Pessoa com “Viajar, perder suicídios; perde-los todos. Viajar até se esgotarem no livro as nobres opções de morte que existem”.



O título assusta um pouco, no mínimo quem me viu lendo achou que eu era uma louca suicida (rs). Bom, o livro não superou minhas expectativas.  
Alguns contos prenderam minha atenção pelo mistério e o suspense, como o conto “As Noites da Íris Negra” sobre uma sociedade secreta de amigos suicidas, cujo pacto era de que cada um deveria se suicidar, mas que ninguém na cidade deveria saber que foi suicídio. Eis uma das frases dita por um dos suicidas deste conto:
“Não feche o caminho da liberdade. Se lhe apraz, viva; se não lhe apraz, está perfeitamente autorizado a voltar de onde veio” (página 92 – Suicídios Exemplares)

Já outros contos (em minha opinião) são entediantes apesar do toque irônico e em alguns momentos até divertidos, foram daqueles contos que eu queria que acabasse logo e só não desisti de lê-los porque “sou brasileira e não desisto nunca” (rs).
Brincadeiras a parte, quero deixar claro que não estou desmerecendo o escritor e nem a sua obra até porque foi meu primeiro contato.  Pretendo ler outras obras dele no futuro, mas infelizmente Suicídios Exemplares não foi um livro marcante pra mim, neste momento.

Aguardo opiniões sobre livro. Alguém já leu? Deixe um comentário, por favor.

Até a próxima.