06 novembro 2012

Dose dupla de Washington Irving

Hoje vou escrever sobre dois contos clássicos do Washington Irving. Senta que lá vem história:

A lenda do cavaleiro sem cabeça


Este é um daqueles livros ou histórias que apesar de muita gente não ter lido, todos sabem do que se trata. A história fala sobre Ichabod Crane, um professor sem casa, sem dinheiro e com muita fome, e sua pretensão em casar com Katrina Van Tassel, a filha de um rico fazendeiro nas terras de Sleepy Hollow, o Vale Sonolento e cheio de lendas, dentre elas a de um cavaleiro que percorre a noite em seu cavalo, procurando por sua cabeça.


É curioso imaginar que, apesar da história estar no imaginário da maioria das pessoas como um conto de horror, ela é também estranhamente engraçada. A forma como Washington Irving descreve a vila de Sleepy Hollow e seus moradores, e principalmente, como descreve Ichabod Crane, que não passa de um magrelo, desajustado, fofoqueiro e morto de fome (e eu juro que não estou inventando isso). Quando Ichabod visita a fazenda dos Van Tassel na tentativa de cortejar Katrina, ele não está pensando nela, em suas curvas, na sua inteligência, e sim no banquete e fartura de comida que teria.

Nada de amor, gente. Nadinha.

Quanto ao cavaleiro sem cabeça, este aparece somente depois da metade do conto. Sleepy Hollow possui um clima denso de mistério, e seus moradores costumam contar as lendas locais e a que mais assusta os moradores é a de um cavaleiro germânico que tem sua cabeça arrancada em batalha que "cavalga numa procura noturna pela sua cabeça". O encontro de Ichabod com o cavaleiro se dá em uma ponte, onde no dia seguinte apenas seu chapéu é encontrado, e ele nunca mais é visto.




Possuo dois livros com este conto, um mais recente publicado pela LeYa na coleção "Eternamente Clássicos" e outro é uma edição portuguesa que contém também a história de Rip Van Winkle, também de Irving.



RIP VAN WINKLE 

Rip Van Winkle é um dos moradores da aldeia que fica ao pé de uma montanha. Um homem simples, bondoso, mas extremamente preguiçoso. Vivia em uma taverna matando o tempo e, quando chegava em sua casa, que era a menor e mais acabada de todas, tinha que ouvir os gritos de sua esposa, que era uma fera e não aguentava o jeito displicente do marido.

Certo dia, para fugir da falação da mulher, Rip foi caçar esquilos no alto da montanha com seu cachorro Lobo. Cansado e já anoitecendo, decidiu voltar, mas no meio do caminho encontrou um homem estranho que o pediu ajuda para carregar um barril morro acima até uma casa com outros homens estranhos, que o ofereceram a bebida escura do barril. Acordou depois de um sono profundo e sua arma e seu cachorro haviam sumido e ao voltar para sua aldeia, tudo estava diferente e ninguém o reconhecia, sua casa estava em ruínas... ele havia dormido por vinte anos.


Nem preciso dizer que a história do Rip é minha favorita, né? Quanto ao Cavaleiro sem Cabeça, vou riscar da lista de "clássicos pra ler" e não pretendo ler novamente. Quando tiver saudade, assistirei ao filme maravilhoso do Tim Burton com um Ichabod Crane que eu posso engolir:


Johnny Depp, seu lindo! :~~