08 novembro 2012

Memória de Minhas Putas Tristes - Gabriel García Márquez [7 livros em 7 dias]

Quem conhece a literatura do colombiano Gabriel García Márquez - também conhecido como Gabito - já faz ideia da pomposa linguagem e narrativa desta história, mas talvez não tenha a mínima noção do que ela conta, principalmente se se basear no título do livro. Aliás, o título à primeira vista, pelo menos para mim, sugeriu uma literatura erótica, e era o que eu esperava da história antes de ler a sinopse, e em se tratando de resumo da história, não há melhor que o seguinte trecho:

"No ano de meus noventa anos quis me dar de presente uma noite de amor louco com uma adolescente virgem. Lembrei de Rosa Cabarcas, a dona de uma casa clandestina que costumava avisar aos seus bons clientes quando tinha alguma novidade disponível. Nunca sucumbi a essa nem a nenhuma de suas muitas tentações obscenas, mas ela não acreditava na pureza de meus princípios. Também a moral é uma questão de tempo, dizia com sorriso maligno, você vai ver."

A partir deste primeiro parágrafo a minha expectativa foi de encontrar um tipo de Humbert Humbert e sua Lolita, ou talvez pior, porque eu simplesmente não me atentei a este "mas ela não acreditava na pureza dos meus princípios", e nesse sentido adorei estar errada em minhas suposições para me deparar com um romance, que em suma, é a história de um primeiro amor, e o melhor de tudo, um amor correspondido.

Romance colombiano - 127 pgns
Editora Record

Ganhador do prêmio Nobel de Literatura, depois de uma lacuna de mais de 10 anos sem compôr um romance, Gabito surpreende até o mais presunçoso dos críticos literários com "Memória de Minhas Putas Tristes", escrito e lançado em 2004 e sem dúvida alguma merecedor de tal prêmio.

Não é nada difícil conhecermos o nosso protagonista e entendermos o porquê de ele, numa idade tão avançada, se dar ao luxo de desfrutar de uma virgem de 14 anos, o ancião sempre foi um solteirão solitário, que em quase um século de vida jamais amou uma mulher, e que apesar de ter desfrutado da companhia de centenas delas pelos bordéis colombianos, o jornalista, crítico musical e cronista, experimenta pela primeira vez o mais puro dos sentimentos e alimenta uma admiração resoluta e leal à imagem desta jovem que, a esta altura o leitor pensa já não ser mais virgem, pois é ai aonde a pureza que ele cita logo no início é provada, o ato não foi consumado, pelo menos no livro, na minha cabeça foi.

Acredito que a intenção de Márquez foi não provocar rumores, impressionar ou até chocar a sociedade com uma obra tão sugestiva, é perceptível a cautela que o escritor adotou para não tornar a obra vulgar, não fazendo do nosso protagonista um velho depravado, nem criar polêmica com uma suposta história de pedofilia. Há sim uma descrição ou outra de ato sexual, mas, mais no sentido elucidativo dentro de todo um contexto, do que pornografia gratuita.

Gabito, su guapo <3
Nessas 127 páginas, descobri um novo Gabriel García Márquez, diferente do que li em "Do Amor e Outros Demônios".
Acima de tudo, o leitor entende que o foco da história não está " numa noite de amor louco com uma adolescente virgem", mas nas diversas constatações que o personagem principal tem ao rememorar os seus 90 anos de vida, descrevendo algumas passagens importantes para a compreensão da personalidade e até essência do ancião (que não tem seu nome citado no livro), e que, de uma certa forma nos cativa, a ponto de torcermos por ele, sofrermos com ele, sermos cúmplices e nos compadecermos de seus pesares.
Definitivamente, Gabito me conquistou com esta história, o que me faz ainda mais ansiosa por encontrar o exemplar de "Cem Anos de Solidão" que trarei para casa.
"Memória de Minhas Putas Tristes" pode ser lido como uma fábula, um poema lírico sobre como cada momento pode ser inexorável. Uma obra para se ler em poucas horas, pensar por alguns dias e lembrar por toda a vida.
Aos fãs, uma notícia triste, este ano Márquez anunciou que está se aposentando e não mais escreverá livros devido a uma doença no cérebro, demência senil, que principia o Mal de Alzheimer. Muito triste.

Da tag: [7 livros em 7 dias]