20 dezembro 2012

O Natal de Poirot – Agatha Christie

E o meu primeiro contato com a “Rainha do Crime”.

Quem nunca ouviu falar desta brilhante escritora? Aqui mesmo no Dose ela já foi citada diversas vezes, porque além de ter escrito histórias fantástica envolvendo crimes, investigações policiais, mistérios e reviravoltas excepcionais, é autora de mais de 80 livros, e bateu recordes como a escritora mais vendida e traduzida em todo o mundo com cerca de 4 bilhões de cópias vendidas e esse número só cresce a cada ano.

Apesar de eu possuir na estante 4 dos seus mais conhecidos títulos - “Depois do Funeral”, “Cai o Pano”, “Assassinato no Expresso do Oriente” e “O Natal de Poirot” -, nunca tinha sentado para ler nenhum deles, sempre haviam outras leituras na frente e sempre fui adiando, sabe como é.
No entanto, eu sempre soube que adoraria a leitura quando a iniciasse, e a partir do primeiro parágrafo (na fila de espera do pronto-socorro), em menos de 6 horas de leitura fui levada pela narrativa e diálogos de uma das histórias mais intrigantes e tradicionais do gênero ficção policial, ambientada na mansão londrina da família Lee, na véspera do Natal, quando o patriarca milionário resolve, por puro capricho, reunir todos os filhos que há muito não via e que hesitaram muito antes de aceitar o convite.
O Sr. Lee, aproveitando o ensejo, decide renovar o seu rico testamento, pois alguns dos filhos estavam de fora por determinados motivos, e nesse ínterim, um crime bárbaro e chocante acontece na casa.
Todos se tornam suspeitos, pois todos tinham os seus motivos e interesses para cometer ou ser cúmplice daquele crime (enquanto lia lembrei do jogo Detetive e dos seus personagens).
Até que, em meados da história, surge o conhecido investigador Hércule Poirot, íntimo dos já fãs da escritora, por ser o cara que no final desvenda tudo e deixa todos de queixo caído pelas deduções, sensitividade às improbabilidades do crime, pelo faro apurado e por sua peculiaridade no trabalho da investigação.

O ator David Suchet deu vida a
Hercule Poirot no filme "Hercule Poirot's Christmas"
de 1995

Ao iniciar a leitura de uma história de Agatha Christie, o leitor já tem em mãos que haverá um crime, provavelmente um assassinato, e os primeiros personagens da primeira página já começam a se tornar suspeitos, e ninguém, nenhum personagem escapa da dúvida, até o animal de estimação se for citado no livro poderá ser um dos suspeitos ou cúmplices, mas no final o crime sempre será desvendado.
Com isso, basta ler do início ao fim para saber o que se sucede, porém, sugiro que você não aposte em nada nem ninguém até o final da leitura, porque olha, as reviravoltas chegam a ser absurdas! Meu palpite é que, ao iniciar o desenvolvimento da história, nem a própria escritora saiba quem é o assassino, e se sabe, torna-o desde o inicio o menos provável, mas sem utilizar um método específico. Mas ai é que surgem algumas falhas e o leitor mais atento aos detalhes verá que algumas coisas não são bem explicadas, digo isso com base em “O Natal de Poirot” especificamente, já que não li nenhuma outra obra dela, e eu juro que gostaria de comentar sobre o final porque eu não fiquei convencida (fiquei inconformada, isso sim!), mas spoiler desse nível não rola aqui no Dose. rs
Ficará ao encargo de vocês lerem e perceberem sobre o que falo exatamente.

La Dame Agatha Christie
De qualquer forma, acho que como primeiro contato esse livro é fabuloso, nos entretém sem nos darmos conta do número de páginas lidas, dá para conhecer bem o estilo de Christie, se tornar íntima de seus personagens, e ter alguma noção de como enxergar as minúcias de um crime por mais absurdo que ele possa parecer.
Se você é observador, detalhista, perfeccionista e até certo ponto sensitivo, que sempre está prestando bastante atenção aos detalhes para tentar, antes de todos, prever o que vai acontecer, vai adorar esse livro (e todo o conjunto da obra de Agatha Christie, tenho certeza).

O Natal de Poirot
Um caso de Hércule Poirot
Agatha Christie
Tradução Vânia de Almeida Salek
Editora Nova Fronteira 2009
Ficção Inglesa
223 páginas






Em outras ocasiões a autora foi citada também aqui:

Pressentimentos e Crimes de Agatha Christie
Tag: Livros + Emoções (por Michelle) 
Alguém + Um Livro (parte III) 
Escritoras e Mães (Parte I) 
Os 15 livros mais vendidos do mundo

E um bom natal à todos (sem assassinatos sangrentos)! ;)