01 dezembro 2012

Ostras com leite para o café, por favor!

Jack Kerouac, o lendário beat, e seu prato preferido: torta de maçã

Vamos ser honestos: quem não gosta de beliscar ou bebericar alguma coisa enquanto trabalha? Horas e horas a fio debruçados em cima de papéis, computadores, máquinas de escrever (ah, a saudosa Olivetti!) e uma cabeça cheia de ideias atiçam ainda mais nossos estômagos, não? Por mais 'geração contenção' que você seja, experimente ficar quatro horas ininterruptas trabalhando para ver se ao menor sinal do café mal passado do vizinho, sua barriga começa a ganhar vida própria.

Alguns escritores não conseguiam escrever sem ter ao lado uma boa comidinha preferida. A ilustradora Wendy Macnaughton pesquisou, descobriu e ilustrou as preferências gastronômicas de gente como Lord Byron, Marcel Proust, Walt Whitman, Frank Kafka e Emily Dickinson. Confira aqui que tipo de comida inspirava alguns dos maiores nomes literários:

(Clique na imagem para ver em tamanho maior)

Lord Byron, por exemplo, gostava de manter a forma. Para isso, ele optava por ingerir vinagre para suprimir o apetite. Regime de modelo, não é?

O francês Marcel Proust curtia mesmo era um expresso ultra forte. 

Já Walt Whitman, considerado o 'pai do verso livre', gostava de ostras e carne para o seu café da manhã. Argh!

O badaladíssimo Truman Capote gostava de começar o dia com café, às 11h da manhã, chá de hortelã ao meio-dia, xerez (um tipo de vinho espanhol encorpado) às 14h e finalizava com martini, às 16h. Capote não era fraco não!

A doce Emily Dickinson adorava começar o dia comendo o pãozinho que ela mesma preparava e assava em casa. Quanta meiguice!

Imagine a mistura de carne em conserva (enlatados) e maçãs? Agora imagine comer carne em conserva diretamente da lata? Pois era assim que F. Scott Fitzgerald iniciava o dia. Urgh!

O pai da "Metamorfose", Franz Kafka, gostava de iniciar as atividades com um módico copo de leite. No meio de todos esses gostos excêntricos, quanta normalidade! 

Clicando na imagem você pode ver a preferência de outros escritores.


Plus:

Wendy Macnaughton faz um trabalho bem bacana. Seus traços são irônicos, entusiasmados, coloridos e ilustram o cotidiano com uma dose de diversão. 







O estúdio de Wendy também faz jus ao tom próprio do seu trabalho, com uma janela enorme que direciona direto para as árvores do quintal e um painel cheio de identidade. 

Estúdio Wendy

Painel da Wendy (estúdio)


Dá para sentir a criatividade pulsando só de olhar! E você? Que tipo de café da manhã e aperitivos fazem sua cabeça? No meu caso, nada melhor do que...

Chocolate gelado
(Créditos: Blog Diga Maria)

Torrada com geleia

(Créditos: Blog Matraqueando)