02 janeiro 2013

Oscar Wilde: O aristocrata da liberdade íntima


Oscar Fingal O' Flahertie Wills Wilde é um nome aristocrático e pomposo. Poderia ter ficado só nisso e sido "feliz para sempre" ao lado de uma possível numerosa linhagem e presença garantida em eventos sociais pomposos. Só que não foi esse o rumo que Oscar Wilde decidiu seguir. Exatamente por isso ele é lembrado como um dos maiores escritores da língua inglesa. Polêmico, irreverente e observador que perscrutava além das aparências, Wilde contribuiu com contos, peças e romances primorosos, entre eles o conhecidíssimo "O Retrato de Dorian Gary", "Um Marido Ideal", "Uma Mulher sem Importância", "Salomé", "A Balada do Cárcere de Reading" e "De Profundis".

A editora L&PM lançou "O Fantasma de Canterville e outras histórias", uma reunião de contos de Oscar Wilde. No livro, o leitor irá se divertir com a história de um fantasma que, ao invés de assustar, é aterrorizado pela família que vai residir na dita mansão assombrada. A Enimara falou sobre este conto em resenhas passadas, destacando o modo como Wilde faz uma verdadeira demolição das crenças tradicionais, colocando por baixo os rígidos modos vitorianos. É interessante como o autor vai desconstruindo as premissas inabaláveis do modo de pensar da sociedade inglesa da época, brincando com ironia e gracejo. Em uma ideia similar, o leitor se depara com "O Crime de Lord Arthur Savile", onde um quiromante coloca o mundo de um jovem rico de cabeça para baixo. Quem já leu "A Cartomante", do grande brasileiro Machado de Assis, mata a charada do conto de Wilde sem muitos rodeios. Na coletânea organizada pela editora de bolso, há cinco histórias com cunho moral emocionantes. "O Amigo Devotado" e "O Princípe Feliz" são contos infantis fantásticos! Não tem como não se emocionar com a sensibilidade do autor inglês em tratar de temas como amizade, pobreza e indiferença humana. 


"O Jovem Rei" e "O Milionário Modelo" são histórias sobre transformação. No primeiro, o leitor poderá identificar a saga de mudança pessoal do rei com a passagem do sovina Ebenezer Scrooge, em "Um Conto de Natal", do inglês Charles Dickens. Em "O Milionário Modelo", uma situação inesperada vem para mostrar que bondade e caridade não devem ser anunciadas aos quatro ventos, pois a recompensa está no silêncio.

Os dois contos mais emblemáticos e repletos de figuras de linguagem são "O Pescador e Sua Alma" e "O Retrato de Sr. W. H", com metáforas e alegorias que podem dar um pouco de trabalho. Oscar Wilde expressa seu encanto pela beleza e pelas imagens vívidas e exóticas, padrão que o seguiu por grande parte de sua vida e o vitimou. O grande contista e dramaturgo deu a sua vida pela arte, pela beleza e pelo amor que, no final das contas, foi seu maior algoz. Mesmo casado com a culta e versada Constance Lloyd, Wilde se apaixonou perdidamente por Lord Alfred 'Bosie' Douglas, o terceiro filho de um Marquês influente. O tal Marquês, inconformado com a situação do filho, processou Oscar Wilde por homossexualismo, condenando-o a dois anos de prisão e trabalhos forçados. Esse período arruinou Oscar em todos os sentidos. Como diria Charles Bukowski entre um copo e outro de cerveja: "O amor é um cão dos Diabos".


Apesar de ter morrido no isolamento e penúria, Oscar Wilde decidiu ser livre e deixou um legado de consciência e magnitude. Se a arte (e o amor) tem seu preço, Wilde o pagou com juros e correção, transformando-se em alguém que, mesmo na "sarjeta, sabe olhar as estrelas".


Plus:

* Você pode encontrar uma coleção de obras de Oscar Wilde (em inglês) acessando este link.

* Para matar curiosidades pessoais sobre o autor, acesse aqui.

* Oscar Wilde já foi mencionado nos seguintes textos do Dose Literária:






Ficha Técnica:

Obra: O Fantasma de Canterville e outras histórias
Autor: Oscar Wilde
Gênero: Coletânea/Contos
Editora: L&PM
Páginas: 208
Lançamento: 2006
Preço sugerido: R$ 17,00