02 fevereiro 2013

"A vida é o único jogo que não tem regras"

Capa do lançamento 'Virando o Jogo'

"And I slow down/I slow down in love/Once I rise inside" (E eu desacelero/ Eu desacelero no amor/ Uma vez que eu me elevo por dentro - tradução livre).  Esse trecho pertence à música 'Once', da banda Blackfield, fruto da parceria entre o músico e produtor inglês Steven 'SUN' Wilson com o israelense Aviv Geffen. Para mudar é necessário rever conceitos e, na maioria das vezes, se elevar por dentro. É fincada nisso que 'Virando o Jogo', obra mais recente da escritora Mônica de Castro, nos apresenta uma história de amor que vem atravessando vidas, superando as barreiras da mudança e desacelerando as angústias para dar lugar ao equilíbrio.

O livro foi ditado pelo espírito Leonel que, como ressalta Mônica, a acompanha e ilumina. A narrativa traz a história de Mizael, um espírito perdido na ilusão da maldade, nos caminhos sombrios das forças negativas. Influenciado por Atílio, uma espécie de 'chefão do submundo astral', Mizael acredita que é parte fundamental no plano do mestre de espalhar o caos e terror, tanto no mundo dos espíritos quanto no dos homens. Por isso, aceita a ordem de Atílio e se coloca à disposição para a reencarnação. O processo é acompanhado de perto por espíritos de luz, entidades de amor, sabedoria e boas vibrações, que conseguem compreender e amar aqueles que estão nas sombras, fazendo com que questionem, por si só, o verdadeiro caminho a seguir.

Virando a página e o capítulo do livro de Mônica de Castro

Mizael volta à ao mundo dos vivos reencarnado como Régis, mas nada vai ser como antes e nada vai ser fácil. Mesmo sendo fruto de uma circunstância aterradora, o ex-comandado de Atílio nasce sob a proteção de uma mulher muito especial e é esse ponto, especialmente, que destaco como fundamental do livro. Outro detalhe interessante vai para a escolha dos nomes do protagonista (Mizael e Régis) que dão pistas ao leitor do que se pode esperar do livro.

Independente da opção religiosa, 'Virando o Jogo' é um espelho que reflete a transformação nas escolhas da vida e que ela só depende de nós. Cada atitude nossa reverbera no presente e também no futuro, fazendo com que tudo esteja conectado. Recentemente, o filme "A Viagem" (Cloud Atlas, 2012, direção de Andy Wachowski, Lana Wachowski e Tom Tykwer) trouxe à tona uma ideia sensacional e intrigante, mostrando a ligação entre cada existência que levamos, nossas ligações cármicas e os diversos caminhos que percorremos ao redor de nossas opções, onde, em algum ponto, nos encontramos e desencontramos.

Cartaz do filme 'A Viagem' (Cloud Atlas)

Mônica de Castro, que também é advogada e trabalha no Ministério Público do Trabalho, conta a história com uma suavidade e lucidez que encanta. A parceria com a editora Vida & Consciência foi mais do que acertada, já que ambas expressam entendimento mútuo e, acima de tudo, compartilhamento de crenças e ideias. Assim como o layout interno do livro, a escolha da capa, cores e fontes, a página da editora Vida & Consciência na internet inspira sensações oníricas e espirituais, um refresco que preenche e acalma os dias nesse turbilhão que chamamos de vida. 

Não se deixe levar apenas pela temática que o livro aborda, porque ele vai além. Muito além. Permita-se descobrir. Permita-se virar o jogo. 

Plus:

A autora Mônica de Castro falou sobre o lançamento do livro aqui.

Não deixe de escutar a trilha sonora do filme 'A Viagem' (Cloud Atlas). É absolutamente fantástica e casa muito bem com a leitura do livro 'Virando o Jogo'. Ouça a versão com a orquestra (clique aqui) e no piano (acesse aqui). Lindíssimas!

Em Março, o Dose Literária vai realizar o sorteio do 'Virando o Jogo'. Essa iniciativa vem diretamente da parceria que temos com a editora Vida & Consciência, um verdadeiro bálsamo no catálogo de leituras. 

Ficha Técnica:

Obra: Virando o Jogo
Autor(a): Mônica de Castro
Gênero: Espiritismo
Editora: Vida & Consciência
Páginas: 424
Lançamento: 2012
Preço Sugerido: R$ 38,00