13 março 2013

Elisabeth Bathory, a condessa sangrenta


Este post fiz inicialmente no meu blog pessoal, mas decidi colocar aqui, pois afinal, é sobre um livro muito bacana.


Nos últimos dias tenho tido uma obsessão em torno de um nome: Bathory. Sou familiarizada com a história da Condessa há muitos anos, mas acontece que coisas foram surgindo ao mesmo tempo, sempre em relação ao nome dela. Uma música, um filme, um livro. Eis que lembrei que um dos meus artistas favoritos, o argentino Santiago Caruso, havia feito algumas ilustrações sobre o tema. Na pesquisa, vi que haviam lançado um livro sobre ela, e o Caruso era o ilustrador. Comprei o livro, já que ele estava na wishlist desde o começo de 2012.


O livro de Alejandra Pizarnik foi lançado no Brasil pela editora Tordesilhas. Conta a história em torno da lenda de Erzsebeth Bathory, uma condessa húngara que ficou conhecida por torturar suas jovens criadas em busca da beleza e juventude. O livro esclarece que muito é especulado mas pouco se pode provar, fala sobre seu casamento, a relação familiar com Vlad Tepes (o empalador que serviu de inspiração para a criação do personagem Drácula), a feiticeira Darvúlia que a acompanhava nas torturas das jovens em busca da beleza. 



Fora a história, que eu já conhecia, o livro é fantástico. Capa dura, sobrecapa protetora, papel de altíssima qualidade e uma quantidade absurda de ilustrações de Santiago Caruso. Uma mais linda que a outra. Todas em tons de cinza e vermelho-sangue, não tenho palavras pra descrever como é o máximo ter essas ilustrações comigo, na minha estante. As fotos não fazem jus ao talento do Santiago. Além disso, diagramação é bem feita, a tipografia foi escolhida com sucesso também.









Tirei quase 70 fotos e foi difícil decidir quais postaria, mas não postei todas até mesmo pra instigar a curiosidade e proteger os direitos do Santiago. Decididamente uma das melhores aquisições que fiz. Quem quer conhecer a fundo a história da Condessa, tem que ler esse livro (ou pesquisar na Wikipedia).