31 maio 2013

Não é que você não goste de ler, você só não conheceu o livro que vai te fazer amar os outros

Outro dia, em uma conversa com meu marido, eu comentei o como eu me sentia feliz quando conseguia inspirar a curiosidade de alguém sobre algum livro e falei principalmente que no dia que eu falasse sobre um livro e conseguisse despertar a curiosidade dele, então essa seria uma das melhores coisas que poderiam acontecer na minha vida (porque ele nunca lê nada). Então ele olhou pra mim e disse que “acho que não gosto mesmo de ler”, então eu disse que “Não é que você não goste de ler, você só não conheceu o livro que vai te fazer amar os outros” e depois de ter dito, eu parei e pensei e acreditei mesmo no que tinha dito.

Porque para mim é isso, eu acredito no poder que um bom livro tem de mudar uma pessoa. Penso que as vezes algumas pessoas só precisam de um empurrãozinho para a leitura, de uma indicação que encaixe no gosto dela, para que depois descubram por si só como podem ser ótimos esses momentos com os livros.

Lembro que eu vivia tentando despertar a curiosidade do meu irmão menor e nunca dava muito certo, porque os livros que eu indicava nunca iam muito com o gosto dele, daí ele os abandonava e me dava mil desculpas, até que um dia eu acertei J (foi a coleção Harry Potter – que também me viciou quando pré-adolescente) e ele leu tudo, em poucos meses. E agora ele está ampliando suas leituras sozinho.

Livros nos dão histórias diferentes das nossas vidas, servem como uma maneira de viajar sem sair de casa, nosso vocabulário se estende e ficamos mais curiosos em relação a assuntos que não conhecemos pois se lemos em um livro sobre algo que não sabemos, pesquisamos sobre para não nos perdermos na história. A imaginação nos dá asas quando lemos.

Eu já influenciei alguns amigos, viciei meu irmão e pretendo continuar assim. Porque eu me sinto muito bem quando vejo alguém com um livro na mão e eu sorrio pra mim mesma (e tento descobrir o que a pessoa está lendo :x). Porque eu sonho com esse dia em que as pessoas vão me ver com um livro, olhar pra mim e dizer “eu já li esse livro, ele é ótimo” ou ”Esse livro é bom?” ao invés de “você tá estudando pra que?” como se livros fossem sempre obrigação. Livro pra mim é prazer, leio pra me divertir e viver.