28 maio 2013

Amor, Curiosidade, Prozac e Dúvidas, de Lucía Etxebarría


Ana. Rosa. Cristina. São três irmãs, e o que elas tem de comum? O sangue. Fora isso? Absolutamente nada.  E é a partir do conhecimento desse fato que vamos sugados para dentro dessa história tão cheia de Amor, Curiosidade, Prozac e Dúvidas livro da autora Lucía Etxebarria, narrado por essas três irmãs que vão sendo apresentadas ao leitor de maneira aleatória mas que dificilmente se confundem uma com a outra.

Eu sempre via esse livro na biblioteca mas algo me fazia antipatizar com ele (ao mesmo tempo que sempre me chamava a atenção. Acho que era a capa da edição que li que era extremamente laranja... (e hoje em dia é justo a que tenho rs - eis a bendita abaixo).

Então, um belo dia eu resolvi deixar de frescura e abrir o livro. E quando li a primeira página vi que tinha que levá-lo e eu tinha que lê-lo. Eu não tinha mais alternativa porque a primeira frase me pegou e quando eu vi, já tinha lido a primeira página inteira e então eu não o larguei mais.

O Livro conta sobre essas três irmãs e sobre suas vidas. Parece bem simples, não? Mas aí é que as coisas se mostram. Todas elas relatam de maneira bem própria toda sua vida até aquele exato momento e contam sobre os seus amores, seus traumas, suas escolhas e chega um momento da história em que todas elas começam a ter dúvidas quanto a essas escolhas e elas precisam chegar a conclusões e precisam mudar ou permanecer naquela posição e continuar vendo tudo desmoronar.

Eu sempre procuro a cada livro que leio encontrar algo na escrita do autor que me desperte a atenção e no caso desta autora eu simplesmente adorei a maneira como ela dá referências maravilhosas durante o livro inteiro. Sejam nos compositores clássicos que a Rosa cita, sejam nas bandas de rock que a Cristina ouve (ela dedica um capítulo inteiro para falar do Ian Curtis da Joy Division *-*) ou até mesmo nas dicas de limpeza e perfeição da Ana...são coisas que simplesmente te abrem o interesse maior pela leitura e te fazem parar a todo momento pra anotar esses nomes (quando não os conhece) para depois pesquisar e ficar mais por dentro da história.

E é um livro incrível porque você entra na vida dessas três mulheres e você se apega a elas, as ama e as vezes as odeia, mas simplesmente as compreende (ou pelo menos tenta).

Dela eu também li o Nós que não somos como as outras e um dia desses eu falo sobre ele também.