O Natal do avarento Scrooge

Em dezembro do ano passado, eu recebi da querida amiga Patrícia o livro de bolso "Conto de Natal", clássico do escritor inglês Charles Dickens (A Christmas Carol, adaptação de Elsie Lessa, editora Ediouro, 2004, pág. 128). O presente foi comprado de uma das charmosas 'máquinas de livros do metrô', um verdadeiro bálsamo para os dias agitados de São Paulo e, ao que fiquei sabendo, do Rio de Janeiro também. Fiquei eufórica quando soube pela Paty que o exemplar que ela tinha me enviado saiu direto de uma máquina dessas, já que não existe nada do tipo aqui na minha cidade. É muito bom ter umas horinhas de 'viagens e sonhos' no meio do tumulto e caos, e livros são uma forma saudável de nos transportar para outro ambiente.



A obra foi muito bem resenhada pela Gaby um dia antes do Natal, e recebeu diversas adaptações para o cinema e teatro. O conto traz a história do avarento Ebenezer Scrooge e sua negação completa aos bons sentimentos que o Natal consegue despertar. Para vocês terem uma ideia, Scrooge é tão medonho que até mesmo os cães guias pareciam sentir a péssima vibração que emanava dele e redirecionam seus donos para outro lugar. O velho de corpo e alma afugentava crianças, fugia de obras de caridade, renegava encontros familiares e desistiu até mesmo da oportunidade de ser feliz ao lado da mulher que amava, porque o amor pelo dinheiro falou mais alto.

A vida do avarento só recebe uma guinada quando o espírito de seu antigo sócio, Jacob Marley, surge das trevas para alertar o que irá acontecer se Scrooge continuar seguindo o mesmo padrão comportamental. Marley avisa que o ex-sócio irá ser visitado por três espíritos natalinos que irão mostrar-lhe sombras dos natais passados, presentes e futuros. A partir desse momento, as coisas começam a mudar para o unha-de-fome. 

Scrooge e Marley, em ilustração feita por John Leech na primeira edição do livro.

Charles Dickens vivenciou a pobreza e soube expressar as mazelas de um povo faminto, sem assistência, sem qualquer condição de vida e rodeado pela sujeira, decrepitude e esquecimento. "Conto de Natal" foi escrito em menos de um mês e tinha como objetivo saldar algumas dívidas acumuladas pelo escritor. Talvez Dickens não contasse com o sucesso estrondoso da obra, mas o fato é que a história das sombras dos natais de Scrooge é realmente fantástica, e continua emocionando toda gente, não importa a idade.

Plus:

Neste link, você encontra o audiobook + legendas (em inglês) do conto "A Christmas Carol".

Acessando aqui, você assiste uma das primeiras versões animadas para o conto, produzida em 1971. Confesso que foi a primeira que assisti, e lembro com muito carinho! : )

Você pode baixar a história em versão pdf

Comentários

  1. Não vou mentir que nunca cheguei a assistir nem aquela animação recente sobre a história...mas conhece o "Tio Scrooge" por causa de que? Do pica-pau! Hahahahha, quem não lem,bra o episódio em que ele vai visitar o tio avarento? Só depois é que fiquei sabendo que havia sido inspirado no personagem de um clássico! Não gosto mais de natal (não hoje em dia) mas quem sabe eu não goste do livro né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas conheço* e lembro* (um milhão de erros quando me empolgo) ¬¬

      Excluir
  2. Adorei seu blog. Seguindo, claro!
    Beijos
    http://www.verbosdiversos.com/

    ResponderExcluir
  3. Vi o filme com o Jim Carrey, antes eu nem conhecia a história, e pra ser sincera, qdo vi o filme nem sabia que era uma adaptação de Dickens até ler a resenha da Gaby.
    Meu próximo do Dickens será o David Copperfield que vc me deu, Marinha. :D
    <3

    ResponderExcluir
  4. Estou com meu exemplar em casa também! Lembro da versão da Disney com o Mickey! Muitoooooo fofinhaaaa!!! Queria tanto assistir de novo!

    ResponderExcluir
  5. Ah eu também comprei esse livro nas "máquinas do metro" lá na sé!
    Ainda não li, mas já vi a adaptação e gostei demais" Ansiosa pela leitura, mas acho que deixarei mais pro final do ano, pra ficar no "clima" !!
    bjos
    Melissa Padilha
    De Coisas por Aí

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bem vindo(a) ao Dose Literária.
Agradecemos seu comentário e tentaremos responde-lo assim que possível ;)