12 junho 2013

Semana dos Namorados: Remédios para o Amor


Daí que você está aí, chorando pelos cantos porque levou um pé na bunda e vai passar o Dia dos Namorados sozinho (a)... Calma! Seus problemas acabaram, porque tio Ovídio tem uns conselhos pra você.

Esse cara sou eu, Ovídio!

Pois é, o poeta romano Ovídio lá do ano 43 a.C, já tinha os remédios para a dor de amor: Remédios para o Amor (Remedia Amoris) na edição da L&PM de 2001 – A Arte de Amar.
Esta edição é uma compilação de 3 textos sobre amor e sedução em que Ovídio ilustra suas “lições” com personagens míticos como deuses e semi deuses Greco-romanos. Veja bem, é um manual completo porque ele fala até dos “Produtos de beleza para o rosto da mulher”! Mas isso é assunto para outro post. 


Aqui, estão algumas dicas para sair da fossa:
- Antes de mais nada, cortar o mal pela raiz: “Eu vi feridas que no começo eram fáceis de curar, e que, com a demora do tratamento, cobravam caro esta negligência. (...) Dizemos sempre: amanhã ainda dará tempo. Entretanto, silenciosa, a chama sobe ao nosso coração e maligna, a árvore enterra suas raízes mais profundamente.”
Tradução: Esqueça o (a) infeliz. Mas...
Se já é tarde para cortar o mal pela raiz, espere, antes de agir, o momento favorável: Procure, se puder, apagar o incêndio quando ele acaba de começar ou sucumbe à sua própria violência.
Tradução: Por mais que esteja morrendo de vontade de ligar, não ligue!  Apague o nº dele(a) do celular, risque o nº da agenda. Resista!
- Procurar uma vida ativa: Fuja da ociosidade; este será meu primeiro conselho. Você que deseja ver findar seu amor, o amor foge da atividade. Leve uma vida ativa e ficará tranquilo.”
Tradução: Não fique aí deitado no sofá, só ouvindo as músicas que lembram o(a) infeliz. Vá ler um livro, leve o cachorro pra passear, lave uma louça que você vai ficar melhor! (rs).
 - Encontrar uma ocupação em Roma. Há tribunais, há as leis, há os amigos para defender. Frequente em Roma os que vestem a toga pacifica que traz a glória.”
Tradução: Vá trabalhar, vá estudar, saia com os amigos...
- Por outro lado magia é absolutamente inútil: Jamais os encantamentos banirão as inquietações de seu coração, e o amor não fugirá vencido pelo enxofre.
Tradução: Simpatia, Mãe de Santo, nome na boca do sapo... nada disso vai afastar o (a) amado (a).

- Pense continuamente nos defeitos dele(a): Lembre-se com frequência dos atos de seu culpado amado e encare de frente todo o mal que ele(a) lhe fez.
Tradução: desnecessária (né?).
- Quando seu(sua) amado(a) pedir para partilhar seu leito e quiser provar seu vigor, e quando a noite prometida estiver próxima, para evitar que você se deixe levar pelo prazer que lhe dará seu (sua) amado(a), se suas forças estiverem intactas, eu gostaria que você tivesse antes relações com outra pessoa qualquer. Porque a volúpia que virá em seguida será lânguida.
Tradução: *Hummm, eu não seguiria essa dica do Ovídio não!
- Eu aconselho também a terem ao mesmo tempo 2 amantes; ficamos mais fortes contra o amor se pudermos tê-los mais vezes.
Tradução: Pega geral, beije muitooooo!
- Fugir da solidão. O exemplo de Fílis: Vocês que amam, a solidão é perigosa pra vocês; evitem a solidão. Para onde você foge? Entre a multidão você estará mais seguro. O isolamento agrava os furores do amor, a sociedade lhe trará algum conforto.
Tradução: Amigos e família, as melhores coisas do mundo.
- Evitar a companhia de casais enamorados. Se você ama e quer parar de amar, procure evitar o contágio: até nos rebanhos ele é prejudicial.
Tradução: evite segurar vela.

Ainda tem várias outras dicas de Ovídio, mas para o post não ficar muito longo por hoje é só. As "traduções" foi uma forma de inserir meus comentários, portanto, foi a minha interpretação "bem humorada" das citações. 

Até a próxima e... 

Feliz Dia dos Namorados!

Posts relacionados:
- Cartas Portuguesas - Mariana Alcoforado