07 agosto 2013

Carmem, de Prosper Mérimée

Com uns 8 anos estava lá eu mais uma vez metida na biblioteca do colégio quando avisto um livrinho fino mas com a capa chamativa...Muito vermelho, cores vibrantes e se não me engano uma cigana dançando. O livro era lindo, a história era curtinha e toda ilustrada. O nome na capa: Carmem. Me sentei e li todinho no horário do recreio. Era uma versão reduzida, apropriada para criança e me apaixonei pela história, porém nunca mais achei aquela edição.

Mas não é sobre essa edição que venho falar hoje e sim a que li recentemente da L&PM, uma versão integral de Carmem que é um romance do escritor francês Prosper Mérimée que depois serviu de argumento para a ópera mundialmente conhecida de Georges Bizet
.
O livro é narrado primeiramente por um arqueólogo que não é identificado mas é importante na história pois se torna amigo (ou ao menos próximo) de quem virá a ser o real narrador dessa tragédia: Dom José (também conhecido como José Navarro).

A história é na verdade sobre seu amor pela bela cigana Carmem e como esse amor/obsessão o levou a total desgraça. Dom José narra a história para o arqueólogo em ritmo de confissão, como que para aliviar sua alma...Ele conta sobre sua vida quando era guarda de uma fábrica de tabaco na ocasião em que conheceu Carmencita: uma moça atrevida, com o cabelo negro, flor na boca e saiotes vermelhos, uma verdadeira cigana com seus olhares lânguidos. Essa foi a primeira vez que a viu e não gostou de seu comportamento mas depois de vários acontecimentos acabou por se meter em apuros por causa da mesma e foi preso. Ele foge com a ajuda dela e a partir daí sua vida entra numa espiral de problemas e dificuldades causados por causa da sua paixão e piorado pelos ciúmes que ela lhe causa já que a nossa Carmem é como ela própria diz livre, e faz o que bem entende e quando assim deseja.

O fato é que José Navarro se perde totalmente nessa loucura de amar esta mulher que hora lhe quer bem e hora lhe trata com desaforos. A cigana é uma das personagens mais originais que já tive o prazer de ler: bela, maliciosa, astuta e de gênio fortíssimo nossa niña é descarada e faz tudo para alcançar o que deseja e se diverte muito em quebrar corações e se aproveitar de pallyos (não ciganos). Não tive como não lembrar dessa música :P enquanto lia o livro sofregamente.

O livro é fininho no entanto. Possui nos rodapés pequenas notas explicativas sobre palavras que os personagens falam durante o texto e foram deixadas no original.

Mais detalhes? Só lendo pra saber!