28 agosto 2013

Perfume, de Patrick Suskind

Quando vi o filme O Perfume – A história de um assassino (2006), fiquei admirada com a história, mas até então eu não sabia da existência do livro, soube por acaso quando um dia uma amiga me emprestou certo livro coberto com papel de presente vermelho que não deixava ver a capa, mas quando abri o livro e vi a folha de rosto tinha escrito lá: Perfume. O nome do autor eu desconhecia também: Patrick Suskind. Então eu resolvi lê-lo pra confirmar se era a história de onde foi adaptado o filme que tanto gostei. No final das contas era e o livro ainda era melhor.

A história se passa na França do século XVIII e se você está acostumado a ouvir falar da Paris cidade da luz, terra do amor, maravilhosa e bela, vai ficar enojado com a descrição que o autor faz do mercado parisiense, lugar onde nasce o protagonista dessa história Jean-Baptiste Grenouille onde sua mãe o abandona no meio dos restos fétidos de peixe logo após o parto. Nosso personagem possui uma característica especial, única, que o distingue das outras pessoas comuns, mas que também as faz repudiá-lo. Jean não possui cheiro e, além disso, possui um olfato aguçadíssimo que o permite sentir o cheiro de coisas que as narinas humanas não conseguem normalmente, como o cheiro de pedras ou perfumes e odores de coisas bem distantes.

Tenho que dizer que esse livro mexeu muito comigo na época, o autor consegue nos transferir para dentro da mente do rapaz e eu passei todo o período em que lia o livro, sentindo com intensidade os cheiros do mundo.

Outra coisa que notamos com a história, é ausência de sentimentos do pequeno Jean-Baptiste, sua quase dormência para as outras coisas e total excesso de entrega para seu sentido olfativo. Isso é o que faz a história tomar um rumo violento e que nos faz entrar em conflito com nossos próprios valores porque se antes nós sentimos pena do protagonista por sua infância difícil e por ele ser constantemente desprezado por todos, quando o mesmo se torna adulto e começa a correr em busca de seu objetivo de criar a "essência perfeita", nos chocamos ao perceber que o mesmo se torna um serial-killer como qualquer outro que vemos em filmes de terror. O perfume não é um livro extenso, é bem escrito e bem conduzido de maneira a desembocar num final que me deixou de boca aberta de tão perfeito.

Algo que descobri quando acabei o livro e fui ler mais sobre na Wikipédia, é que algumas bandas foram influenciadas pela obra para escrever suas músicas, três delas foram:

*A música "Scentless Apprentice", escrita pela banda de grunge americana Nirvana.
*A música "Herr Spiegelmann" da banda portuguesa Moonspell é inspirada no livro e contém um excerto do mesmo.
*A música "Du riechst so gut" da banda alemã Rammstein♥ é inspirada no livro, o qual é um dos favoritos do vocalista Till Lindemann.