20 setembro 2013

Olho por Olho, de Jenny Han e Siobhan Vivian - Trilogia Olho por Olho - Livro 01

Quando li essa frase "Garotas crescidas não choram...acertam as contas" nas orelhas do livro Olho por Olho das escritoras Jenny Han e Siobhan Vivian eu imaginei que a  história fosse ser interessante, mas não imaginei que fosse me prender o bastante para ler tudo em dois dias.

Olho por olho publicado pela Editora Novo Conceito é o primeiro de uma trilogia (isso eu só soube quando acabei) e nesse primeiro volume a história é narrada por Mary, Lillia e Kat. 
Essas garotas vivem  na Ilha Jar um lugar paradisíaco mas onde nada de novo acontece (fora os turistas). 
Cada capítulo é narrado por uma delas. Os capítulos são bem curtos e rapidinho o leitor pula de um para o outro, conhecendo assim os motivos que levaram cada uma a querer vingança.

O que achei intrigante de início é que as garotas fazem parte de círculos sociais e vidas totalmente distintas mas devido a vários acontecimentos elas são postas frente a frente e acabam se unindo por causa da intenção de fazer sofrer os que lhes fizeram mal. Lillia e Kat tiveram um passado, mas Mary era uma total estranha até todo o plano delas ser  iniciado.

Os motivos de cada vingança variam e posso dizer que achei alguns deles bem bobos até, mas um deles é bem sério e a vingança dele acaba tendo resultados catastróficos e que fizeram a história acabar numa parte crucial deixando uma grande expectativa para o próximo livro.
Uma coisa que achei bem bacana, é que as moças retratadas na capa do livro tem características bem próximas das personagens principais. Temos mesmo uma oriental que é a Lillia, Mary que é loirinha e Kat com o cabelo castanho e não é só isso, aos poucos vamos notando elementos da capa que aparecem na história também.

O que não gostei, foram os clichês...aquela coisa de filme americano teen, pois temos a líder de torcida  fodona-que-se-acha-a-gostosa, o capitão do time de futebol bonitão (e que é um cretino), a amiga da líder de torcida que é meio Maria-vai-com-as-outras, a garota revoltada-desbocada que bota pra quebrar, a garota  que era gordinha e tímida mas que cresce e vira uma moça linda mas com a auto-estima menor que um filhotinho...claro que se formos pensar no contexto da história dá até pra entender que todos esses clichês cabem direitinho no desenvolvimento da trama e sem esse bando de...(me perdoem o palavrão!) bando de "filhos de uma égua" a história nem precisaria ter sido escrita. Afinal, quem se vinga de gente legal?
Fiquei um pouco indignada (e um pouco curiosa) a respeito de algo que foi dado a entender no final do livro a respeito de uma das garotas e quero mesmo saber como isso vai ser desenvolvido no segundo livro. No geral é uma história que prende. Não tem como parar até que se termine a última linha.