15 outubro 2013

Fora de mim - Martha Medeiros

Instagram Dose Literária
“É a pior morte, a do amor. Porque a morte de uma pessoa é o fim estabilizado, é o retorno para o nada, uma definição que ninguém questiona. A morte de amor, ao contrário, é viva. O rompimento mantém todos respirando: eu, você, a dor, a saudade, a mágoa, o desprezo – tudo segue.”

Eu sempre acreditei que os livros me chamavam. É estranho dizer que sou escolhida por um livro quando na verdade nós escolhemos o que ler. Na maioria das vezes, os livros que mais me tocaram, e que me marcaram foram aqueles que não tive a intenção de ler, foram os livros que simplesmente estavam na hora e no lugar certo, pararam nas minhas mãos sem serem procurados ou desejados. Foi assim que encontrei “Fora de Mim” de Martha Medeiros.

Parei numa banca de revista durante um passeio que fazia sozinha. Quando estou sozinha gosto de parar em bancas de jornal e livrarias. Bom, meus olhos logo bateram no título: “Fora de Mim” e meu impulso foi pegar e folhear o livro. Na hora me contive: “você já tem livros não lidos demais Patrícia, não vá comprar mais um.” E saí da banca de mãos vazias. Mas não fiquei em paz, alguns minutos depois, voltei um quarteirão e finalmente comprei o livro – aquele que me chamou.

“Fora de mim” descreve o rompimento de um relacionamento amoroso. A personagem narra sua história de amor pelo fim e nos leva até o começo e o desfecho de tudo. É surpreendente a forma como a leitura flui como se tivesse nas mãos o diário secreto de alguém. Sim, porque eu sou curiosa e devoraria qualquer diário que encontrasse por aí. Medeiros incorpora tanto a personagem que a sinto próxima, como uma amiga me contando tudo.
A dor, o vazio após o fim de relacionamento que mesmo conturbado, fora intenso. É o fim de uma paixão avassaladora de uma mulher já madura que já fora casada e achava que estava se redescobrindo com um homem aventureiro, inconstante, mas ciumento. Não é mais o fim de um namoro de adolescente, é o fim de um relacionamento parecido com uma montanha russa - de altos e baixos. Agora, imaginem que em cada situação narrada pela personagem, você já viveu ou está vivendo e mesmo que nenhum desses estados faça parte da sua vida, você certamente irá sentir como se fosse sua história.


O interessante é que Martha Medeiros não entrega a história de bandeja. Juntamos as peças de um quebra cabeças de sentimentos e situações. Além disso, a escrita da autora é moderna e ao mesmo tempo poética, mas sem pieguices.

Minha avaliação:
««««
Ótimo, recomendado, favorito!

Posts relacionados:
- Citação: Noite em Claro
- Nem mesmo a solidão vem sozinha