11 novembro 2013

Ambos não querem filhos na relação... Um muda de idéia... Uma prova de amor, de Emily Giffin

Logo que li a sinopse Uma prova de amor, publicado pela Editora Novo Conceito,  senti que deveria conhecer a obra de Emily Giffin a partir dele, pois até então, nunca tinha lido nada da autora, apesar de ela ser uma das mais 'famosinhas' do mundo blogueiro. Porém, o que me parecia ser uma leitura empolgante, na verdade não me surpreendeu tanto como eu gostaria. Não sei se coloquei expectativas demais [por ser o primeiro livro lido dela], ou se realmente a história não me empolgou tanto como eu pensei que fosse. 

Uma prova de amor não é um livro ruim, de forma alguma. Li super rápido e até grifei algumas passagens interessantes. Ele só não me cativou ao ponto de ser meu favorito, mas também não me traumatizou a ponto de eu desistir de Emily Giffin. Certamente quero ler outros livros dela, e quem sabe eu me agrade mais de um deles. Não foi uma leitura espetacular, mas não me fez desistir da escrita de Giffin logo na primeira viagem.

A história fala sobre um casal que pretende não ter filhos. Claudia, desde sua tenra infância, não apresentava instintos de ser uma futura mãe e com o decorrer dos anos, sua decisão acerca disso lhe causou alguns problemas nos relacionamentos, afinal, muitas pessoas quando se relacionam com alguém, desejam ter filhos. E quando percebiam que Claudia não compartilhava desses planos, logo caiam fora. Na casa dos 30, a protagonista 'desencanou' de encontrar alguém que tivesse a mesma opinião sobre filhos, e resolveu viver de encontros aleatórios, que não tinham uma perspectiva de amanhã. E então, surge Ben

Ben, assim como Claudia, não pensa em ter filhos. Pra ele, a família é perfeita sendo constituída de apenas duas pessoas: ele e Claudia. E apesar dos protestos, indiretas e conselhos de ambas as famílias, ele não pretende acatar tais conselhos de ninguém. No início, o casamento [que foi rápido] é intenso e eles vivem felizes, completando-se num amor cheio de ternura e momentos intensos. Entretanto, com o passar dos anos, e já chegando aos 35 anos, Ben, para desespero de Claudia, muda de idéia...

Ela fica chateada, pois não quer voltar atrás no que prometeu a Ben. E acha injusto Ben falar sobre filhos quando tudo parecia indo de forma agradável com eles. Mas por alguns fatores acontecendo ao redor do casal, fazem Ben refletir e ele resolve ser pai. Eles brigam e acabam se separando. Claudia, apesar da dor de ter perdido o amor de sua vida, resolve seguir em frente, e acaba se relacionando com outra pessoa, mas volta e meia o pensamento está em Ben, com quem ele pode estar e em quem será a futura mãe de seus filhos, já que ela se recusou a ceder pra ele na decisão...

Os personagens secundários 'seguram a barra' durante a história. Os pais de Claudia e suas irmãs, cada uma com problemas em seus casamentos: uma que tem 3 filhos e vive sendo traída, a outra deseja ter filhos e não consegue engravidar. A família de Claudia adora Ben, e no trabalho, Claudia se vê envolta com as edições de livros e um 'affair' com um de seus superiores, que não parece ser ruim, à primeira vista, mas será que realmente é o tipo de amor que Claudia quer viver? Por que Richard faz Claudia se sentir amada, mas a própria não se sente satisfeita com esse romance? São questões que ao longo do livro você vai desvendando...

Achei a escrita de Emily Giffin bem prática, deliciosa de ler, mas em alguns momentos ela tende a ser um pouco óbvia. Mas em suma, o livro me foi satisfatório. E embora pareça que o final será clichê, acabou me surpreendendo de forma positiva. É um livro que vale a pena você dedicar algumas horas de leitura, só não espere tanto dele. Leia despretensiosamente...