21 fevereiro 2014

O mundo pelos olhos de Bob + Concurso Cultural



Bom, quem me conhece sabe do meu amor por gatos e quando esse livro veio parar em minhas mãos, não imaginava que estava me deparando com uma leitura tão despretensiosa quanto interessante, em doses balanceadas desses dois elementos... O mundo pelos olhos de Bob - As novas aventuras de James e seu gato, publicado pela Ed. Novo Conceito é sobre a história de um homem e seu gato tentando ganhar a vida honestamente nas ruas frias de Londres. James Bowen era um viciado em heroína, e nesse livro ele fala como sua vida mudou depois que Bob passou a viver com ele. Ele não se aprofunda em explicar como Bob foi encontrado, pois ele fala sobre isso [provavelmente, porque ainda não li] em seu primeiro livro Um gato de rua chamado Bob. Mas pelos acontecimentos narrados, você leva a crer que o primeiro livro foca exatamente nisso...

O mundo pelos olhos de Bob é uma leitura leve, fácil e deliciosa. Li em apenas um dia suas 220 páginas repletas de patas de gatinho ilustrando suas folhas. James agora é um vendedor ambulante de revistas, e todos os dias ele enfrenta as ruas com Bob em seu ombro, ou deitado em sua mochila. E isso atrai a atenção dos transeuntes. Bob é um gato muito esperto, e sua relação com o dono é quase telepática - ele sempre sabe quando está pra acontecer alguma coisa, e com os sinais típicos dos felinos, James acaba prevendo algumas situações... Tendo que vender pilhas de revistas para sobreviver e sustentar seu gato, James encontra muitos amigos, mas também pessoas invejosas, que ao tomarem conhecimento da popularidade da dupla, acabam denunciando o vendedor por maus-tratos, agressões, a fim de prejudicar seus dias de trabalho. Mas logo que os mau-entendidos são esclarecidos, James e Bob retornam a seus pontos... 

Não tenho muito o que falar sobre a história, sem o risco de soltar algum detalhe importante, mas o que posso afirmar é que no decorrer da leitura, passamos a sentir mais amor pelos bichanos, além de descobrir o quão misterioso e esperto um gatinho pode ser. Bob foi a esperança batendo à porta de James, quando ele se encontrava sozinho e no fundo do poço. Graças a Bob, ele reage a cada dia contra seu vício, contra o desânimo de seguir em frente, sem muitas perspectivas futuras. A lealdade do animal é tanta que James passa a se cuidar melhor [com questão a sua saúde] em prol do bichano. James se sente como um pai para Bob...O charme do gato é tanto que no metrô, nos ônibus e parques que ele frequenta com seu dono, as pessoas param por um momento de suas vidas para fotografar ou filmar as peripécias inocentes de Bob. 

"Os londrinos são notórios por não se envolverem com seus companheiros de viagem, mas até mesmo o coração mais gelado se derrete um pouco quando vê Bob sentado ali, captando a atmosfera, todo interessado. Eles sacam seus celulares com câmera, depois saem sorrindo para trabalhar. Viver em Londres pode ser uma existência muito impessoal e desanimadora. Assim, a ideia de que estamos de alguma forma iluminando os dias das pessoas me faz sorrir." 


Um relato emocionante, que cativa e nos faz sorrir feito bobos a cada página lida... Leitura super recomendável, para todas as idades...
E para quem ficou com uma vontade irresistível de ler essa obra, a chance é essa: O Dose Literária lança o Concurso Cultural de Fevereiro, que vai contemplar o ganhador com um exemplar do livro. E para participar, é só preencher o formulário abaixo. Responda a pergunta, cruze os dedos e boa sorte!



O resultado sairá no dia 02 de Março.