24 maio 2014

3 frases que nunca foram ditas - Dose de Curiosidades Literárias

Separei algumas curiosidades de artigos que encontrei pela internet através de indicações, e aqui divido com os leitores do blog. Pode ser que você já tenha lido ou saiba mais sobre e pode ser uma oportunidade de compartilhar com outras pessoas. Para quem ainda não sabia das curiosidades - enjoy it!


Citações equivocadas

A revista SuperInteressante listou algumas frases que nunca foram ditas, mas que são frequentemente associadas às grandes personalidades mundiais. 

Você pode até ter o direito dizer o que quiser, menos de colocar palavras na minha boca.
1. Voltaire - “Eu discordo do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”
François Marie Arouet, nunca disse esta frase. A edição de Dicionário Filosófico da editora Martin Claret também associa esta frase ao escritor que mesmo discordando de Rousseau, defendeu-o dizendo esta frase quando autoridades suíças queimaram o livro "Discurso sobre a Origem de Desigualdade" de Jean-Jacques Rousseau. 
Na verdade, quem possivelmente criou e divulgou essa frase como sendo de Voltaire foi sua biógrafa, a escritora inglesa Evelyn Beatrice Hall. A frase tornou-se um símbolo do direito de livre expressão e resume o pensamento filosófico do escritor.

Clive Brook na pele de Sherlock Holmes em produção de 1929
2. Personagem Sherlock Holmes“Elementar, meu caro Watson”
Diversas vezes ouvi esta frase como sendo do personagem Sherlock Holmes dos livros de Sir Arthur Conan Doyle. Confesso que li um ou dois livros e não me lembro dela em nenhum dos dois.
Na verdade, a frase foi uma combinação de duas sentenças mais usadas por Holmes em alguns contos. A combinação foi para a primeira adaptação cinematográfica do filme "A Volta de Sherlock Holmes" de 1929.

Na verdade ele disse:“Eu só confio nas pessoas loucas, aquelas que são loucas pra viver, loucas para falar, loucas para serem salvas, desejosas de tudo ao mesmo tempo, que nunca bocejam ou dizem uma coisa corriqueira, mas queimam, queimam, queimam”.
3. Jack Kerouac “Isto é para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os que vêem as coisas de forma diferente. (…) Enquanto alguns os vêem como loucos, nós vemos gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente para pensarem que podem mudar o mundo, são as que de fato o fazem”.
O escritor americano não é autor da famosa citação acima. Os verdadeiros responsáveis pelo texto que faz parte de uma campanha publicitária da Apple são Rob Siltanen e Ken Segal em 1997. 
A inspiração ou ligação equivocada pode ser associada a um trecho do livro On the Road de Kerouac em 1957 e que já falamos aqui também.


Gostou? Envie suas sugestões pra gente!
Se Clarice Lispector tivesse viva... 

Posts Relacionados: