10 maio 2014

Nada dura para sempre, de Sidney Sheldon

Retorno com os meus textos no Dose Literária com o coração na mão. Ainda não sei como me sentir, o que escrever ou pensar. Acho que me transformei em um fragmento da música "Saudade", da cantora carioca Melissa Matos, e nem percebi. Eu sinto uma falta absurda da Eni e um dia espero poder abrir os meus sentimentos sem passar tão mal!

"Nada dura para sempre" (original Nothing Lasts Forever, tradução de A.B Pinheiro de Lemos, editora BestBolso, 2010, págs. 308), livro do escritor best-seller Sidney Sheldon, me fez companhia nos últimos dias e amenizou um pouco a minha falta de concentração. Mais uma vez, Sheldon traz uma heroína como protagonista - típico em suas séries - e a faz passar por profundas transformações ao longo do livro. 

Na história, a residente Paige Taylor consegue uma vaga no Hospital Público Embarcadero, em São Francisco. Paige é acompanhada por Kate Hunter e Betty Lou Taft, formando o trio das únicas médicas mulheres no grupo que assumiu a residência no hospital. O livro não segue ordem cronológica e mescla pensamentos e histórias dos diferentes personagens. Paige, Kate e Betty têm biografias diferentes, mas com algo em comum: todas tiveram que superar perdas, danos e dores para continuar seguindo em frente.

O enredo começa com Paige sendo acusada de matar um paciente para herdar uma grande fortuna, já que ela era a única herdeira oficializada em testamento. A suposta vítima era um senhor que sofria de câncer terminal e solicitou à médica que acabasse com seu sofrimento através da eutanásia. Apontada por um dos médicos do Hospital Embarcadero como autora do crime, Paige é levada a julgamento. Desse ponto em diante, começamos a conhecer um pouco mais da rotina do hospital, seus médicos, enfermeiras, funcionários e pacientes. Em nota, Sidney Sheldon agradeceu aos profissionais de saúde que o auxiliaram durante a escrita do livro, já que encontramos termos técnicos, aparelhos e situações específicas da área.

O autor retrocede em vários pontos do livro para detalhar a história pessoal dos personagens, possibilitando uma visão tridimensional ao leitor. O romance é envolvente e possibilita o envolvimento do leitor com a narrativa. Apesar disso, o desfecho poderia ser mais forte e realista. De qualquer forma, vale a leitura!