06 maio 2014

Dois Rios, de T. Greenwood

Dois Rios da escritora T. Greenwood é uma história narrada por Harper Montgomery, um homem atormentado por um acontecimento do passado e que deseja ser perdoado. 
Tudo é contado por ele mesmo, intercalando capítulos entre passado e presente. Aos poucos o leitor vai se situando e entendendo os motivos de tormento dele e antes de descobrir isso, conhecemos sua vida, desde a infância até o momento presente (nos anos 80) quando um acidente de trem no seu local de trabalho o faz conhecer um pessoa, Maggie, que precisa de sua ajuda mas ao mesmo tempo o lembra do ato insano do qual participou anos antes.
A escrita é direta e sem rodeios, é um texto melancólico mas isso se dá ao que percebi, por causa da personalidade do protagonista. Na maior parte ele fala sobre como conheceu Betsy Parker, o amor da sua vida, sobre seus pais (principalmente sua mãe), momentos marcantes até a chegada da sua vida adulta e no presente fala de Shelly, sua filha.
O  livro toca em vários assuntos sérios, mas o que tem mais destaque é o preconceito e a guerra, porque a juventude de Harper foi nos anos 60 e nessa época tudo isso estava no auge, os conflitos maiores do livro se dão por causa disso.
É uma boa leitura. É um livro grande, mas que flui bem. Se não gostei mais da história, foi porque não me identifiquei muito com o protagonista e normalmente quando isso acontece eu não me empolgo tanto com a leitura.

Esse livro foi uma cortesia da Editora Novo Conceito.