21 junho 2014

Se houver amanhã, de Sidney Sheldon

Tracy Whitney era uma mulher bem sucedida, com grandes chances de ascensão profissional, noiva de um homem endinheirado e dona de notória beleza. Além disso, ela estava nos primeiros meses de gestação do pequeno herdeiro de nome e status. Apesar de todos esses cobiçados elementos da vida moderna, Tracy estava feliz simplesmente por compartilhar amor e esperança com o homem que ela escolheu para amar. No entanto, depois de um telefonema, a mãe de Tracy suicidou-se sem maiores explicações, deixando a jovem completamente desorientada. Ao comparecer à velha casa dos primeiros anos de vida para realizar os procedimentos fúnebres, Tracy descobre que sua mãe foi vítima de uma armadilha e decide se vingar. Só que essa vingança cobrou um preço extremamente caro, fazendo a vida da jovem atravessar os portões do inferno.

A história de sofrimento, sobrevivência e superação - os mágicos três 'Ss' - veio da mente best-seller do escritor norte-americano Sidney Sheldon, criador de heroínas dicotômicas: ao mesmo tempo infelizes e destemidas. Tracy é a protagonista do romance "Se Houver Amanhã" (original If Tomorrow Comes, tradução de Pinheiro de Lemos, editora BestBolso, edição Vira-Vira, 2010, págs. 434), uma narrativa repleta de suspense e que nos faz segurar o fôlego várias vezes durante a leitura. Sheldon é mestre em criar romances cinematográficos, seguindo a linha de roteiros de filmes que misturam ação, suspense e romance. 

Em "Se Houver Amanhã" não é diferente. Depois de acompanhar a dura batalha travada pro Tracy para sobreviver, observamos a sua mudança de personalidade e comportamento. Um dos efeitos mágicos do trabalho de Sidney Sheldon é criar o efeito de passagem do tempo, possibilitando ao leitor perceber como os fatos que marcaram o começo da jornada dos protagonistas ficaram no passado ao ceder lugar para o presente e o futuro. Há o efeito de temporalidade expresso no trabalho do autor, o que acaba sendo um movimento interessante para reforçar a ordem cronológica - tão necessária e desejada por muitos leitores.

Leitura fluida, intensa e que nos faz torcer do começo ao final pela vitória de Tracy - ainda que essa vitória signifique "viver pelo ilícito", ferrando com o sistema e com o capital de terceiros.