19 julho 2014

Mistérios da Rainha do Crime - A Casa do Penhasco, de Agatha Christie

Depois de décadas solucionando casos exaustivos, o detetive Hercule Poirot decide tirar umas férias ao lado do amigo, o capitão Hastings - parceiro com pinta de Watson. Nesse descanso praiano, os amigos conhecem Nick, uma jovem espirituosa e de temperamento ativo. Em um curto espaço de tempo, Nick sofre várias tentativas de assassinato e o caso começa a intrigar o detetive.

A jovem é proprietária de uma casa localizada no alto de um penhasco, lotada por dívidas e com aparência soturna. O espaço foi herdado de um tio e desperta interesse em outros familiares, levantando ainda mais suspeitas. O detetive belga e seu amigo capitão decidem tirar a história a limpo, e passam a frequentar a casa da herdeira. Enquanto outros eventos surgem, um acontecimento trágico acaba culminando no estremecimento da autoconfiança de Poirot, complicando ainda mais a trama.

O enredo acima narra as aventuras e desventuras do livro "A Casa do Penhasco" (original Peril at End House, tradução de Otávio Albuquerque, editora L&PM, 2012, págs. 224), mais uma obra da autora inglesa Agatha Christie, a famosa 'Cronista de Homicídios'. Com suas reviravoltas constantes, a narrativa me surpreendeu positivamente. Poirot está menos antipático do que de costume e, finalmente, usou a massa cinzenta para atuar de forma efetiva na cena do crime. 

Com desfecho inusitado, A Casa do Penhasco também levanta uma questão digna de nota: Tudo o que vemos é reflexo do real?


~ Dica do Dose ~

A Maria Valéria (Val) está com uma iniciativa super bacana na cidade em que mora (Paudalho - PE). Ela está conduzindo uma roda de leitura e, muitas vezes, discute as obras de Agatha Christie. Tire alguns minutinhos da sua atenção virtual-real para conhecer esse projeto.