29 outubro 2014

Os assassinos do cartão-postal, de James Patterson

Trago para vocês as impressões que tive com a leitura do livro Os assassinos do Cartão-Postal, de James Patterson e Liza Marklund, publicado pela Ed. Arqueiro.

Ganhei esse livro no evento que a editora organizou em Recife sobre literatura policial, e Patterson, juntamente com Harlan Coben foram os autores falados no encontro. Gosto de ambos, mas só conhecia Patterson por causa da série Bruxos e Bruxas. E apesar de muitos acharem essa série fraca, até agora eu gostei, mas resolvi dar uma chance de conhecer o autor por outra perspectiva. E não me decepcionei.

Os assassinos do Cartão-Postal fala sobre um casal de serial killers que anda atuando na Europa. O alvo deles são casais apaixonados que estejam de férias. Eles nunca matam mais de um casal por país, e já fizeram vítimas na Holanda, França, Espanha... e dessa vez se encontram na Suécia... 


Eles geralmente degolam suas vítimas e tiram photos dos casais em poses estranhas, e antes de cometerem um assassinato, enviam para algum jornalista daquele país um postal sobre o crime. A jornalista escolhida em Estocolmo é Dessie Larsson... 

Kimmy, uma das vítimas dos assassinos, juntamente com seu marido, é filha de um policial americano, o protagonista de nossa história. Jacob Kanon não vê mais sentido em viver e a toda hora flerta com o suicídio, mas acaba protelando a decisão difícil até pegar os responsáveis pela morte de sua filha, e ele não vai descansar enquanto não o fizer...

Bem, os capítulos são bem curtos, deixando sempre uma pontinha ligando para o capítulo seguinte, e apesar de algumas pessoas não gostarem de capítulos curtos, esse não é o meu caso... Acredito que a leitura fica mais instigante escrita dessa forma... A trama prende a atenção do leitor até o desfecho, os assassinatos são 'criativos' e o casal de psicopatas é logo revelado, então não há mistério em descobrir a identidade deles, e sim em capturá-los antes que matem mais pessoas. Seus métodos de abordagem são sutis, espontâneos e as vítimas são ingênuas demais em se 'conectar' com seus algozes... Além de matá-los, eles roubam os objetos dos mortos, dificultando o trabalho da polícia...

Em paralelo a essa perseguição, Dessie e Jacob acabam se envolvendo [achei isso bem previsível, mas não enfraquece a história], e ambos tem que lidar com o que está acontecendo com a imprensa, com a polícia de Estocolmo [que não vê com bons olhos a intromissão de um policial americano em suas investigações] e com seus próprios problemas pessoais. Jacob é obstinado, cabeça-quente, obsessivo por vingar sua filha e genro, Dessie é insegura em seu trabalho, vive perseguida por colegas de profissão que acham seu trabalho medíocre e ainda vem de um relacionamento frustrado com uma colega de trabalho... Mas ambos trabalham muito bem em conjunto, e descobrem o padrão dos assassinos, embora de início nada aponte para o casal que se 'entregou' a fim de provar sua inocência... Logo descobre-se realmente a teia de crimes e um fator que não posso revelar sem cometer spoiler... 

Em suma, é um suspense realmente eletrizante, que não vai deixar você dormir até chegar à última página...
Recomendo... ^.~