15 novembro 2014

Dias de Verão - Sonia Rodrigues

Uma das coisas bacanas da democracia, que parece esquecida em função da recente tensão eleitoral, é que podemos discordar e permanecer amigos. Nem sempre nosso argumento toca o outro. Quem disse que estamos sempre certos?

Meu primeiro contato com a autora de "Dias de Verão" foi pelo skoob. Ela discordou de maneira elegante e argumentativa de meus comentários sobre "Mentes Inquietas", também publicadas no Dose Literária. Repliquei mantendo minha posição, que nem era diametralmente oposta à dela, e fui fuçar seu perfil. Leitora experiente, me interessou, e propus segui-la. Um tempo depois, ela me contatou, pesquisando quais leitores eletrônicos eu utilizava. Admiti minha completa ignorância no tema, e ela me presenteou com um de seus livros, em formato PDF. 

Dias de Verão é uma coletânea de contos curtos, de leitura muito fácil e agradável. Em seu estilo despretensioso, Sonia não esconde suas muitas leituras, e um jeito de viver intenso, de quem se debate para extrair o suco da vida.

Não é gostoso quando nos identificamos com as ideias de um autor? Parece que mais alguém nos entende. Descobri inúmeras afinidades: o apreço pelo frio e pelo silêncio, o fascínio por relógios, o interesse pelo budismo. A qualidade relativa da vida no interior.

A vida é busca incessante, por vezes dolorosa. Nós leitores temos este pequeno segredo. Ler e escrever passa a ser um prazer e mais que isso, uma necessidade:

" Em uma carta, a alma esparrama-se como um gato em um tapete macio".

Procuramos nos livros essa companhia especial - que só se acha na afinidade de ideias. Sei que a cultura e sede de vida demostrada pela autora pode assustar os incautos. Pessoas com tanto a dividir podem ser intimidantes, e fazerem sua vida um tanto solitária. 

Sonia, esta é uma carta para você. Meu desejo após esta "degustação" de sua escrita é que você tenha muitos leitores e amigos para dividir suas percepções do mundo, e que não perca nenhuma oportunidade de regar essas reuniões com bom vinho.