09 novembro 2014

O que temos este mês?

Novidade não é, porque ele sempre esteve presente com seus maravilhosos textos de diversos tipos de literatura. Mas ele aceitou (e que honra!) nosso convite oficial para fazer parte do time do Dose Literária... Quem é? Vocês já o conhecem... É o Fabio Michelete!

Fábio oficialmente no Dose!
Leitor desde criança. Cresceu com uma enorme biblioteca em casa. Estudou e tocou piano clássico, mas seguiu com os estudos de psicologia e hoje é um dos mais respeitados profissionais da área tendo na bagagem o título de mestre em psicologia do trabalho pela Universidade de São Paulo – USP.

Em 2006 escreveu seu primeiro romance “Aprendi a me Amar” que falamos e sorteamos aqui no blog em 2012. É casado com a Carla e pai do Luigi de 5 aninhos, tem sua própria empresa de consultoria. Em seu tempo livre, dedica-se às leituras, yoga e caminhadas. Quanto às caminhadas, Fabio está dividindo suas experiências no blog Os Fortes Caminham Conosco.


Quem quiser ler as resenhas dos livros que o Fábio já leu - é só clicar AQUI!


Dica cultural - teatro

Assisti a essa peça em 2009 e foi uma das melhores da minha vida. Felizmente a produção do Teatro Ágora apresenta esse belíssimo espetáculo mais uma vez ao público paulistano. Não percam!











Sonho de um Homem Ridículo

Peça baseada no conto de Dostoievski. Segunda metade do século XIX. Um homem do subterrâneo. Cenário e personagem típicos do autor russo, um dos principais narradores da alma humana.Nosso herói sabe que é ridículo desde a infância - motivo de desprezo e zombaria de seus semelhantes- e já não tem mais nenhum interesse na continuação da sua existência. Num dia inútil como todos os outros, em que mais uma vez esperava ter encontrado o momento de meter uma bala na cabeça, foi abordado por uma menina que clamava por ajuda. Ele não só recusa o apoio à criança, como a espanta aos berros. Ao voltar para casa, não consegue dar fim a sua existência. Adormece e sonha. Ele narra como conheceu a verdade em toda a sua glória e mostra como tudo aquilo deve ter sido real, pois as coisas terríveis que sucederam não poderiam ter sido engendradas num sonho.

A adaptação se preocupa em manter o texto original de Fiódor Dostoiévski, que faz parte do livro Diário de um Escritor, publicado pela primeira vez em 1877. Propõe um espetáculo que explora o essencial das questões humanas de Dostoiévski, estabelecendo um diálogo direto com o contemporâneo. Sua arquitetura cênica é construída a partir da rua, do cortiço, do paraíso e do inferno - elementos da obra-, numa composição que sugere o onírico, onde o sentido do sonho é recuperado através do espanto ao colocar em um mesmo plano, o imaginário do contemporâneo e a infância da humanidade. O real e o sonho se justapondo em um diálogo permanente durante o jogo cênico. O ator solitário em cena é uma opção estética inerente ao tema, que aborda a solidão e a sua superação. 

Da fanpage no Facebook
Dramaturgia e interpretação: Celso Frateschi
Direção: Roberto Lage
Cenário e figurino: Sylvia Moreira
Luz: Wagner Freire
Trilha sonora: Aline Meyer
Ingressos:  R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia

Post relacionado: