01 dezembro 2014

9 e 1/2 Semanas de Amor

Fiz uma compra no último mês de um livro chamado 9 e 1/2 Semanas de Amor, obra que inspirou o filme homônimo que foi sucesso na década de 80, trazendo Mickey Rourke em sua melhor forma, fazendo par com a atriz Kim Bassinger. Eu sou apaixonada pelo filme e nem sonhava que havia o livro, então, quando vi uma pessoa vendendo, resolvi comprar, e não me arrependi da leitura... 





Escrito por Elizabeth McNeill, um pseudônimo, 9 e 1/2 Semanas de Amor é o relato de uma experiência amorosa/sexual que aconteceu com a autora na década de 1970, em que ela conhece um homem, por acaso, e se envolve numa aventura sexual de jamais apagar da memória... Ela era uma executiva bem-sucedida na carreira que em uma bela manhã, numa feira livre, se depara com um homem charmoso que tempestuou sua vida por mais de dois meses. Ela vai morar com ele e se entrega a um jogo sadomasoquista feroz, onde nunca havia se imaginado antes. Em momento algum do livro ela o denomina, o conhecemos apenas por Ele. 

A escrita de Elizabeth hipnotiza o leitor. Você se sente totalmente inserido nas páginas, como se estivesse envolvido também com o casal. Jogos de sedução e dominação estão presentes em toda a narrativa, dando um gosto de êxtase ao leitor... A história chocou o público quando publicada e mesmo tendo se passado trinta anos, a impressão que a obra nos passa ainda é de fazer corar e ao mesmo tempo curiosidade em saber onde essa aventura vai dar... O livro excita. Os diálogos são quentes sem pecar por exagero ou clichês...

"Na primeira vez em que estávamos na cama juntos, ele segurou minhas mãos acima da minha cabeça. Eu gostei. Gostei dele. Ele era mal-humorado de um jeito que me pareceu romântico; era engraçado, inteligente, interessante e me dava prazer."
Publicado originalmente em 1978, sua repercussão foi tão alta que logo havia um filme sendo produzido, e deixo o conselho a vocês que aqui leem, que o melhor é ver o filme depois da leitura. A química entre os dois atores realmente me pareceu familiar e fidedigna com a obra escrita. Eu via Rourke e Bassinger enquanto lia... Devo confessar que após terminar o livro fiquei com uma sensação estranha, de não ter 'visualizado' enquanto lia, alguns trechos apaixonantes do filme. Existem situações que vi no filme que não aparecem na obra, e isso acabou me frustrando um pouco, mas não interfere na qualidade do livro, isso é apenas uma impressão minha. 




Foram mais de dois meses compartilhando experiências bizarras, orgásticas e difíceis de se repetir algum dia. A executiva com ares de poder e liberdade se via acorrentada e algemada durante a noite... e gostava disso... ao mesmo tempo em que era surrada e cedia aos caprichos Dele, era também tratada com ternura, alimentada, vestida, banhada e embalada. Eram duas mulheres em uma só. Durante o dia, vestia a capa de executiva competente, a noite era entregue, submissa e feliz...

"- Como você sabia?Como sabia que eu ia me entregar a você como me entreguei?- Eu me vi em você."
O filme é bem mais romantizado, mas no livro é possível perceber traços de patologia na relação dos protagonistas. Até que ponto pode chegar uma paixão avassaladora e o quanto ela mexe com nosso psicológico e com nossas decisões? Em suma, é um livro a ser saboreado de maneira extasiante, mas com um toque de reflexão acerca das interações humanas mais profundas... 


Deixo com vocês um clipe da música-tema. Sintam-se embalados com essa música ao lerem 9 e 1/2 Semanas de amor... Há quem prefira o livro e deteste o filme, há o inverso... me deleitei com ambos...