20 fevereiro 2015

História de um soldado, Jack London

Trago para vocês a resenha da última obra que li do maravilhoso Jack London. Trata-se do livro História de um Soldado. Na verdade, o título é um dos cinco contos que compõem a obra. Fala sobre uma história de guerra, em que o protagonista desde moço sabia montar com habilidade. Ele está em terreno inimigo e qualquer movimento desnecessário pode lhe custar a vida... Ele passa por vários momentos de tensão sendo espreitado pelo inimigo... Ao se deparar com um grupo de cavaleiros, encontra uma casa onde pode se esconder... 

O segundo conto é sobre vagabundo que se encontra dormindo na grama, com o sol a pino acima de si, e é encontrado por uma linda garotinha, que coloca sobre si uma sombrinha, a fim de lhe dar sombra. O conto é o meu preferido do livro. É um contraste da vida errante e de ex-preso do vagabundo com a pureza e delicadeza de uma menina inocente, que desconhece o mal dos homens e do mundo... Traz um importante questionamento para o homem e uma esperança de mudar, e aproveitar o que a vida tem de bom a nos oferecer... O conto trata de um duelo de índole e de redenção...

O próximo conto se intitula Os três manetas. São três homens andarilhos, que numa fria noite se encontram a beira de um rio, e dividindo o álcool que traziam consigo, compartilham suas [des]venturas que os levaram à vida atual e o que os levou a chegar aquele ponto de perder um membro. Homens bem-sucedidos de outrora, que hoje vivem desgastados e ressequidos pelas agruras do tempo... 

Um nariz para o Rei é um conto sobre esperteza. Se passa na Coréia e fala sobre um político que roubou tanto do governo que foi condenado a morte e estava preso aguardando sua sentença, caso não pudesse repor o dinheiro que havia desviado. Ele utiliza-se de astúcia para conseguir se soltar, recuperar o dinheiro e dar a volta por cima...

Fechando o livro, que tem apenas 127 páginas, temos o conto A volta do pai pródigo. Josiah Childs havia se casado com uma megera, e dessa união nasceu uma criança, mas ele jamais chegou a conhecer o filho, pois abandonara o convívio do lar indo trabalhar e prospetar longe da esposa. Apesar de sempre enviar dinheiro para ela e seu filho. Eis que um dia, Josiah resolve tornar à casa, e conhece seu filho, desejando naquele momento, poder levá-o consigo... A história trata do medo de um pai ser rejeitado por sua prole, o arrependimento de ter ido embora e o medo de reencontrar a sua esposa, a quem amou um dia. 

Jack London traz pequenas lições em seus contos, escritos de forma magistral. A leitura se dá de forma rápida e breve, mas não menos agradável por sua leveza... Recomendo para todas as idades... É uma excelente pedida para os que não conhecem a obra do autor...



Jack London nasceu em 1876 e viveu apenas quatro décadas. Apesar da vida curta, escreveu e viveu muitas aventuras no decorrer da [breve] existência. Foi entregador de jornais, policial, percorreu o Canadá e Estados Unidos viajando, caçou focas no mar da Sibéria, viajou para o México e a Coréia, e é um dos maiores nomes da literatura americana. Em todos os seus livros que tive o prazer de ler, notei a mensagem de liberdade vivida por ele. Influenciou outros autores, tal como Jack Kerouac.

London foi rejeitado pelo pai e entregue para adoção. Quando sua mãe adotiva casou-se, o marido resolveu assumir a criança como seu filho, dando-lhe seu sobrenome. Faleceu em 1916, de forma precoce, mas deixou um grande legado em suas obras imortalizadas na literatura... Já falei sobre alguns de seus livros aqui no blog, podem dar uma conferida nos links abaixo...



Espero que tenham gostado do post. Até a próxima, queridos. Tentarei não demorar tanto pra voltar aqui, me desejem sorte nesses dias... Beijos...