03 março 2015

A fugitiva, de Anais Nïn

Em 14 de janeiro de 1977, falecia em Los Angeles, um dos grandes nomes da literatura francesa: Anais Nïn, escritora que ficou famosa por suas ideias libertárias sobre a condição sexual da mulher e que revolucionou a época com seus escritos considerados ousados demais para a época, ainda mais criados por uma mulher...

Apesar de francesa, sua obra foi escrita em inglês, pois ela passou boa parte de sua vida nos Estados Unidos. Foi amante do escritor Henry Miller, e teve seus diários publicados, em que conta o romance que teve com ele... Dentre suas obras, algumas das mais conhecidas são Delta de VênusHenry e June e Uma espiã na casa do amor, mas hoje quero trazer para vocês o livro A Fugitiva, publicado pela L&PM Editores, pela coleção 64 páginas. É um livrinho de apenas R$ 5.00 e traz três de seus contos: O basco e a bijou, Manuel e o conto que dá nome ao livro, A fugitiva. O livro é uma excelente pedida, caso você nunca tenha lido nada da autora, seria uma porta de entrada para sua obra. E por um preço bacana, diga-se de passagem.





O basco e bijou é sobre um artista pobre que conhece Bijou num prostíbulo. Ele a tira de lá e levar para sua casa, mas nunca satisfaz sua amante. Ele a deixa nas nuvens para dar-lhe o inferno em seguida. Tratada dessa forma, Bijou acaba reconsiderando a possibilidade de tirar algum prazer e satisfação dessa nova condição de vida... Você pode encontrar este conto no livro Delta de Vênus. 
"Entre cada minúsculo avanço para dentro dela, Viviane tinha uma folga para sentir o quanto aquela presença era agradável entre as paredes macias de carne, como se encaixava nem muito apertada, nem muito frouxa." O basco e bijou.
Manuel conta a história de um pervertido que sente prazer em ter seu falo observado por outras pessoas, e sempre provoca situações para deixa-lo a mostra. Expulso de casa pela família, foi viver em Montparnasse como boêmio. Trens, festas e becos escuros eram cenários ideias para deixar seu pênia à mostra. As pessoas se assustavam, mas ele não pretendia tocar ninguém. Seu prazer era apenas ser observado, e entrava em êxtase quando isso acontecia... Um belo dia, Manuel encontra uma pessoa que tem o mesmo fetiche...
"Ela sabia que ele estava olhando para o sexo dela, sob o pelo muito preto e cerrado, e finalmente abriram os olhos e sorriram um para um outro. Ele estava entrando no estado de êxtase, mas teve tempo de reparar que ela estava em estado de prazer também. Pôde ver a umidade cintilante aparecer na boca do sexo dela." Manuel.
Finalizando o livro, temos A fugitiva, que dá nome à obra. Jeanette é uma garota que pede abrigo a Juan, e este a leva para seu apartamento. Apesar da timidez, os dois acabam descobrindo o sabor do beijo um do outro e ela fala sobre sua mãe e os homens que visitam sua cama, e que fugiu de casa para experimentar os seus homens também. Completamente virgem mas com uma desenvoltura insaciável, Jeanette passa a noite a provar do sabor de Jean. Seu amigo Pierre, com quem divide o apartamento, chega no dia seguinte e se depara com aquela estranha ali... Com o passar dos dias, Jean se cansa de Jeanette e cabe a Pierre o papel de suprir a necessidade da garota...

"Jeanette podia ver tudo, cada contração e expansão. Era como se ele tivesse um pássaro palpitante entre os dedos, um pássaro cativo que tentava voar para ela, mas que Pierre conservava para seu próprio prazer. Ela não podia tirar os olhos do pênis de Pierre, fascinada." A Fugitiva.


Os contos que compõem este livro foram escritos por encomenda. Nin criava contos dessa forma, sim. E muitos deles eram experiências de pessoas de seu círculo de convívio, mas que tinham a identidade preservada. A escrita de Anais Nïn é envolvente e deixa o leitor extasiado. É uma leitura rápida que vai fazer você querer adentrar no universo luxurioso dessa incrível autora...  


Nossa saudosa Eni já tinha falado sobre esse livro aqui...