02 abril 2015

2 de Abril - Dia Internacional do Livro Infantil

Hoje é o dia internacional do livro infantil e nem preciso dizer o quanto o livro é importante na nossa infância. Seja para nossa alfabetização, para estimular nossa cognição ou para nos divertir, o livro infantil é uma das peças importantes para nossa formação intelectual e emocional, por que não?!

O livro que marcou minha infância e até já comentei sobre ele por aqui foi “O dia em que o mico-leão chorou” de Arnaldo Niskier. Eu tinha entre 8 e 9 anos, e o livro foi uma leitura indicada pela escola.
O livro conta a história de uma família de mico-leões dourados que viviam felizes na floresta até o dia em que foram capturados por humanos para trabalharem no circo. Com isso a família ficou separada, causando tristeza na floresta pelos entes da família que foram capturados.


Em torno dessa captura e do que os micos eram obrigados a se submeterem no trabalho escravo do circo, acredito que o autor conseguiu emocionar diversas crianças como eu.  Chorei igual “Maria Madalena” como diria minha mãe. A história apesar do final feliz tem seus momentos dramáticos e foi aí que me encontrei envolvida e compadecida dos animais. Infelizmente não lembro mais detalhes, mas se eu tiver oportunidade quero adquiri-lo novamente. Infelizmente, não tenho qualquer livro da minha infância, pois alguns foram doados na época, outros se perderam em tantas mudanças de casas e na vida.

Qual livro marcou sua infância?

Selecionei algumas postagens sobre livros infantis que fizemos aqui no Dose Literária.

A Maria Valéria falou sobre sua infância e os livros em Infância e livros e ainda escreveu sobre os livros:

A Anna Costa também escreveu sobre o livro marcante de sua infância em Tem encanto no quintal. E a filha da nossa querida e eterna Eni Miranda – a Mônica Miranda escreveu sobre Você é um homem mau, Mr. Gum!

Em 2014 fizemos uma parceria bacana com o escritor David Rocha e falamos sobre o lançamento do seu livro infantil Folhas de Castanheira.

Vida longa aos livros infantis!

"Acho a criatura humana muito mais interessante no período infantil do que depois de idiotamente tornar-se adulta." - Monteiro Lobato.