29 abril 2015

A mais pura verdade, de Dan Gemeinhart




Uns dias atrás a Editora Novo Conceito me enviou um livreto contendo os primeiros capítulos do livro A mais pura verdade, de Dan Gemeinhart. A leitura se mostrou deliciosa logo de cara e quando finalizei o livreto, fiquei na maior expectativa de saber o desfecho da história... Pois bem, a editora me enviou um exemplar e no mesmo dia devorei o restante da história. Confesso que em vários momentos, as lágrimas vieram aos olhos...

A mais pura verdade é sobre Mark, que apesar da pouca idade já tem consciência que vai perder o páreo para um câncer grave... Então ele resolve sair de casa levando uma mochila com poucos mantimentos e seu cãozinho Beau a tiracolo, pra tentar escalar o Monte Rainier, numa espécie de 'última aventura'. Ele tinha feito essa promessa ao seu avô, que escalava montanhas e de certa forma ele quer cumprir sua promessa... 
Mark sai registrando numa pequena câmera as coisas que lhe acontecem pelo caminho. Raciona a comida, procura manter Beau sempre alimentado e sente saudades de casa... Ao longo do caminho, passa por vários momentos de perigo, de tristeza e principalmente de solidão... Mas ainda assim, ele deixa o medo de lado seguindo rumo ao seu objetivo... A tempestade vai piorando e o rádio comunica que as pessoas não saiam de casa, nem escalem a montanha, dando intervalos para falar do desaparecimento de Mark. Ele tem medo que as pessoas o reconheçam e o levem pra casa, interrompendo seu sonho... Sua amiga Jess sabe, mas ele pediu segredo e enquanto ele ruma ao seu intento, a garota fica em casa e na casa de Mark num dilema de contar onde seu amigo está indo, ou deixar que ele realize sua vontade sem interferência... 

O garotinho Mark tem muita perseverança e apesar de parecer loucura abandonar tudo e se arriscar ele tem em mente que vai morrer de qualquer forma, então ao menos uma vez em sua curta vida, ele gostaria de sentir um pouco a liberdade de fazer suas próprias escolhas, mesmo que a um preço alto... Outro ponto admirável na história é o cachorro, que sempre cuida de seu dono, e nunca o abandona. Até quando quase morre ele ainda permanece junto a Mark. Tive que me segurar pra não chorar numa das cenas mais tensas do livro envolvendo Beau...

Ao longo de sua aventura, Mark se dá conta que nunca esteve sozinho, e apesar da revolta com a vida e com o tempo que pra ele está se esgotando, ele percebe o quanto foi amado e protegido por sua família, amigos e até foi bem tratado pelos desconhecidos que surgiram em sua jornada. E ele conta com sua amiga Jess para que sua história seja conhecida por todos... Quanto ao desfecho me foi satisfatório, não é alegre, não espere um milagre divino mas foi perfeitamente coerente, e por que não dizer, 'feliz'? Tive minhas expectativas superadas com a leitura e creio que a obra possa agradar a leitores de qualquer idade. Se você procura uma história envolvente e emocionante, eis A mais pura verdade...