09 fevereiro 2016

Os 100 menores contos brasileiros do século

Tão rápido quanto amor de carnaval...
É assim em Os cem menores contos brasileiros do século, livro que é uma coletânea de microcontos de diversos escritores com proposta e organização do escritor pernambucano Marcelino Freire e publicado pela Ateliê Editorial desde 2004. 
Os contos, ou melhor, microcontos foram escritos por cem importantes escritores do cenário brasileiro como Moacyr Scliar, Dalton Trevisan, Millôr Fernandes, Xico Sá, Andréa Del Fuego, Laerte, Mário Bartolotto, Luiz Ruffato e muitos outros escritores... 

Conheci o livro através do próprio Marcelino Freire quando participei da oficina ministrada por ele em outubro/2005 na Biblioteca de São Paulo. Até escrevi meu microconto na oficina, mas deixa pra lá, sou tímida para divulgar e ainda mais porque não chego aos pés dos grandes escritores que participaram desta coletânea. 

Este é um livro que você pode carregar na bolsa ou no bolso, e sempre que tiver uma pausa durante o dia pode ter uma dose de romance, sarcasmo, humor e etc em forma de microconto. É praticamente um Twitter no papel, só que a diferença é que ao invés de 140 caracteres, os contos têm até 50 letras (sem contar o título). 


Quem é Marcelino Freire?

Marcelino é o pernambucano mais paulistano que muitos paulistanos por aqui. Já está há mais de 20 anos em São Paulo e conhece muito bem os redutos culturais da cidade.
Autor de 7 livros entre eles Angu de Sangue e Nossos Ossos (que já li), vencedor do prêmio Jabuti de Literatura em 2005 pelo livro Contos Negreiros. É organizador da Balada Literária evento que reúne música, literatura e arte que acontece geralmente em novembro todo ano na capital.
Frequentador de uma das Rotas Literárias de São Paulo: Mercearia São Pedro (que pretendo visitar em breve!) onde costuma comemorar os lançamentos de seus livros! 
Marcelino é super divertido também e ótimo professor das técnicas da escrita.


Um dose de literatura...

Aqui transcrevo um dos microcontos do livro de autoria de Luiz Ruffato escritor que inclusive já comentamos algumas vezes por aqui através do Livros em Pauta

ASSIM:
Ele jurou amor eterno
E me encheu de filhos
E sumiu por aí.

pág - 52


Posts relacionados: