07 fevereiro 2016

Uma história de terror - Corações Feridos, de Louisa Reid

Li "Corações Feridos", da escritora Louisa Reid (original Black heart blue, tradução de Thiago Mlaker, Editora Novo Conceito, 2013) nos últimos dias de dezembro do ano passado. Para minha surpresa e pavor, a experiência foi estarrecedora. Fiquei satisfeita por ter encontrado muito mais do que um drama adolescente e mirabolante no romance, além de perplexa pelo desenrolar da narrativa - digna de filme de terror. Quem assistiu o longa-metragem "Um Crime Americano" ou já deu de cara com notícias sobre violência dentro de grupos religiosos (informações que temos todos os dias, das mais diferentes maneiras), vai sentir o mau estar percorrendo as veias durante a leitura de "Corações Feridos".

O livro conta a triste história das irmãs gêmeas Hephzibah e Rebecca, jovens atormentadas por torturas, violências e toda sorte de abusos domésticos. Os nomes de origem bíblica escondem o horror vivido pelas irmãs ao conviver com um pai agressivo e molestador, e uma mãe passiva e cúmplice em crueldades.

Hephzi, como o próprio nome sugere, é dotada de beleza e deleite. Rebecca, por sua vez, vive mendigando na sombra da irmã. Tímida e introvertida, Reb é evitada por todos por ter nascido com a Síndrome de Treacher Collins, uma doença genética caracterizada por deformações no crânio e na face. Resultado de malformação congênita, a síndrome faz com que seus portadores necessitem de atendimento multidisciplinar, envolvendo cirurgiões craniofaciais, fonoaudiologistas, oftalmologistas, cirurgiões dentistas e acompanhamento psicológico. Rebecca não possui nada disso. Ao contrário: ela e Hephzi estão encarceradas em negligência e esquecimento. 

Sonhando em fugir daquela vida, Hephzibah consegue convencer os pais a permitirem que ela e a irmã frequentem à escola. Nesse meio tempo, a jovem escapa para ir às festas, conhece garotos e aparenta uma vida normal. O que ninguém suspeita, nem mesmo os fiéis da igreja do qual o pai de Hephzi e Reb é pastor, é o pesadelo ao qual elas são diariamente submetidas.

Alternando falas e pensamentos das duas irmãs, a narrativa consegue prender a atenção e jogar na cara do leitor denúncias importantes. Quanto mais você avança na leitura, mas será tentado a continuar indignado e revoltado; enojado e triste. O livro vai te ajudar a pensar sobre situações que você finge que não vê e mentiras que elabora como se fossem verdades. Nesse ponto, "Corações Feridos" alcança pontos de vantagem em relação a outras publicações do gênero.

A resenha detalhada - com direito a pormenores do enredo - foi escrita pela Maria Valéria. Recomendo a leitura. E mais uma dica: fique de olho no nome Louisa Reid. Ele pode trazer outras boas surpresas!