28 junho 2016

O Jogo do Anjo, de Carlos Ruiz Zafón

Após ler A Sombra do Vento, mesmo sabendo que os livros seguintes da série do Cemitério dos Livros Esquecidos poderiam ser lidos em qualquer ordem, eu quis porque quis, ler O Jogo do Anjo em seguida, já que ele foi lançado logo após o Sombra... Acontece que na época depois de ler o primeiro, ao invés de comprar o Jogo do Anjo comprei o Prisioneiro do Céu, pensando se tratar do segundo (na ordem de lançamento) ¬¬´
Acabei perdendo um bom tempo procurando o Jogo do anjo pra comprar na época e como não consegui e não me aguentava de ansiedade para ler logo optei pelo e-book mesmo.

O Jogo do Anjo narra a história trágica de David Martín que desde criança conviveu de perto com o o sofrimento pois foi abandonado pela mãe e deixado com o pai amargurado. Ao aprender a ler, encontra nas histórias dos livros, um alento para sua vida infeliz mas isso é mal visto por seu pai analfabeto, que acredita que o filho deve parar de se "iludir" com as baboseiras dos livros. 
Sua história já é iniciada no livro em sua vida adulta e ao poucos vamos sabendo de seu passado. Seu amor pelos livros acabam fazendo dele escritor e Martín então acaba tendo a oportunidade de publicar alguns de seus contos em uma coluna no jornal onde trabalha, mas isso acaba por gerar muita inveja de seus colegas de trabalho, pois ele começa a fazer sucesso. Isso atrai admiradores e um deles chamado Andreas Corelli lhe manda cartas estranhas com um enigmático anjo que mudarão todo o rumo de sua história.
David por fim acaba por ser despedido mas passa a trabalhar para dois inescrupulosos editores que o convencem a assinar um contrato para que trabalhe para eles em uma série de livros encomendados que o mesmo se matará para cumprir os prazos (e sob um pseudônimo). O dinheiro é bom e o escritor acaba por comprar uma velha mansão que desde a infância desejara mas é aí que sua saúde começa a definhar e nesse ponto que o misterioso Andreas Corelli surge com uma proposta tentadora...
Nesse meio tempo, entre suas lembranças do passado e narração do presente Martín nos põe no mesmo plano de fundo do Sombra do Vento: a cidade de Barcelona, só que aqui...muitos anos antes dos eventos ocorridos no primeiro livro, o Cemitério dos Livros Esquecidos é novamente visitado, dessa vez por David e temos uma agradável surpresa ao conhecer os antepassados de Daniel Sempere, pois a Livraria Sempere & Filhos está presente na história e as surpresas ao percebermos quem são certos personagens são ótimas.^^

Se no A Sombra do Vento eu adorei a maneira como Zafón ia contando várias histórias e depois aos poucos, ia conectando e amarrando tudinho, isso foi algo que me fez muita falta nesse outro volume.  
Devo confessar que mesmo sendo um livro muito bom e com uma história cheia de detalhes e reviravoltas interessantes, me desiludi um pouco com ele pelos buracos que ficaram. 
As vezes eu ficava confusa achando que tinha pulado algo ou  tinha deixado passar algo mas logo ao reler via que não, que era mesmo daquela forma.

Diferente do outro livro, muitas perguntas ficaram sem respostas e não foi falta de atenção na leitura...logo após ler o livro, li muitas resenhas e constatei que assim como eu, muitos dos leitores ficaram com uma interrogação enorme no meio da cara. Claaaro que há muitas teorias do porque Zafón agiu dessa maneira nesse livro e uma das explicações é o fato do livro ser narrado por Martín e o protagonista em certo ponto da história começou a entrar numa espiral de loucura e paranóia. Isso explica algumas coisas sim mas não tudo.

Mesmo sendo um livro que me causou tanto estranhamento, o Jogo do Anjo é um livro que indico, principalmente, depois de ter lido o último livro da série O Prisioneiro do Céu...algumas coisas fizeram um pouco mais de sentido...logo logo trarei a resenha dele.