02 julho 2016

Instruções para os Criados - Jonathan Swift

Ok. Eu me rendo. Também aderi à moda das séries, com ajuda do Netflix. Horas de privação de sono e do convívio com a humanidade, agora dedicados a "House", "House of Cards"(!!!), "Lie to Me" e "Downton Abbey".


Foi de Downton que veio o background para entender mais este título da literatura inglesa - INSTRUÇÕES PARA OS CRIADOS, de Jonathan Swift. A realidade de uma sociedade dividida entre nobres e plebeus, ainda bastante marcada, antes que os comerciantes começassem a ascender economicamente e lutar por posições sociais de importância.

Já havia comentado Jonathan Swift aqui no Dose Literária - seu livro mais conhecido, "As Viagens de Gulliver" - pode ter o comentário acessado clicando aqui. Em comum com o livro sobre Gulliver, este titulo tem o estilo satírico, divertido hoje - então imagino como era contestador em 1731, quando foi escrito.

O livro mostra uma sucessão de "dicas" para figuras como o Mordomo, a Governanta, a Aia, Babás, o Porteiro, o Chofer. Basicamente, como fazer para trabalhar menos e sacanear o "Senhor" sempre que possível. Vai desde as sugestões mais ingênuas, como não atender quando chamado, até algumas maldades, como expor penicos cheios pelos patrões em público, pequenos roubos ou obtenção de vantagens para periodos de folga ou consumo de bebidas da adega. Divertidissimas as sugestões para gerar cheiros desagradáveis a todo o instante, porque supostamente "são bons remédios para a melancolia" dos "senhores"...

Essa sociedade injusta, a que Swift maltrata de maneira tão elegante, mordaz e irônica é base para vários autores, inclusive os da geração Beat, comentados há pouco tempo aqui no blog. Ressalta uma regra aprendida nos bancos da faculdade de psicologia: toda a ação de controle gera um "contra-controle".

NÃO ESBANJE MEU AÇUCAR!!!!!
Trechos divertidos (ou instruções úteis):
" Tome partido de todos os mercadores em oposição ao senhor, e quando o enviarem para comprar alguma coisa, nunca sugira uma barganha - pague generosamente o preço cheio. É muito favorável para a honra do senhor, e é possivel que alguns xelins apareçam no seu bolso"

"Ao cometer algum erro, seja sempre atrevido e insolente, e comporte-se como se você mesmo tivesse sido o ofendido, assim o senhor ou a senhora perderá imediatamente o ímpeto"

"Nunca atenda antes de ter sido chamado três ou quatro vezes, pois apenas cachorros respondem ao primeiro assobio"

"Conte histórtias de espiritos para as crianças quando elas quiserem chorar(...)"