10 setembro 2016

A teus pés - Ana Cristina Cesar

Quando apresentei A teus pés de Ana Cristina Cesar, falei das minhas expectativas em relação a leitura deste livro que na verdade é uma compilação de outros breves volumes que a escritora havia publicado entre 1979 e 1980.


Ana Cristina Cesar foi homenageada este ano na Festa Literária Internacional de Paraty e assim acabou trazendo mais visibilidade para suas poucas obras, por conta do falecimento precoce e no auge de sua carreira e vida.
Li uma matéria com o perfil da escritora que foi publicada na edição 105 da Revista Cultura que a descreve como poeta marginal influenciada por grandes escritores: de Oswald de Andrade a Charles Baudelaire, entre outros...

"Sua escrita incorpora a dicção antiliterária da 'poesia marginal' do começo dos anos 70, que buscava o tiro certeiro da poesia-minuto e o tom coloquial. Ao mesmo tempo dialoga com uma sólida formação literária, em que coabitam a tradição moderna, a poética da citação e uma curiosa 'lirica de transbordamento'." 

Eu confesso que não sei ler e analisar poesia, pois cometo o pecado mortal de confundir lirismo e técnica com sentimentos. Sabe quando você gosta de uma música, mas não sabe tocar nenhum instrumento, não tem ideia de ritmo, rima e etc? Sabe quando você gosta da música porque se identificou com a letra ou que a sonoridade agradou sua audição ou porque te fez lembrar algo? Pois é assim que leio poesia. Se a poesia não me toca, se não estou nela - então não significou nada, o que é diferente quando leio prosa. Infelizmente, a poesia de Ana não me trouxe nada. 

Já tenho imensa dificuldade de falar e analisar as poesias que gosto, agora imagina falar de algo que simplesmente não me causou nenhuma impressão, nem sequer um desconforto. 
Talvez vou precisar reler a obra em um outro momento da minha vida para tentar entender a estética ou não estética de Ana C. Cesar.

Por ora, indico a resenha que a Maria Valéria fez para o livro Poética (também em parceria com a Companhia das Letras) que contém esta obra para que vocês não saiam daqui sem resposta.